Posts Tagged ‘yakissoba’

Eu vivo falando desse tal predinho da Liberdade e nunca entrego o ouro, né? Eu sei, eu sou péssimo. Vou tentar falar dos restaurantes que a gente vai lá aos poucos – o primeiro é o nosso preferido, o Mugui.

Você pensa que se você for para o Japão vai comer sushi o dia inteiro? Pare de se iludir: sushi é comida de rico por lá. Só para ocasiões especiais. O Mugui é especializado em outra coisa que faz mais parte do dia-a-dia dos “toquianos” (ou toquienses, ou toquiocas?). Lá tem todo tipo de macarrão japonês: udon, soba, yakissoba… Tudo uma delícia, em média por R$ 15 (os mais caprichados, tipo os que tem tempurá, saem por um pouco mais). Como eles são grandes, tem alguns que eles fazem uma versão “pequena”, por R$ 10. Delicioso: o legítimo kare rice! Huuummm, com cara de casa de batchan (vó em japonês) – R$ 13.

E a gente confessa: eu e a Mo adoramos a caipirinha de pinga do Mugui, que custa, sei lá… R$ 4! É ridículo, o preço! Fui ontem com a minha mãe e sentamos no balcão – tava lotadão na hora do almoço. Foi divertido, me senti no Japão. As pessoas devem comer muito no balcão lá em Tóquio, né, já que é tudo apertadinho…

Serviço
Mugui
R. da Gloria, 111, 1o andar, Liberdade, São Paulo – SP.

Jorge Wakabara

Pra quem ficar na cidade no feriado e não for extrair nenhum 3º molar, que tal comida chinesa diferente de yakissoba?

Esse lugar, o Rong He – restaurante de massa chinesa, pode ser o lado B chinês. Se fosse na China seria normalzinho, bem PobreChinêsTambémCome (porque se fosse RicoChinêsCome, seria sashimi de magurô – atum).

O tchans do lugar, como diz o subtítulo, é a massa chinesa. Feita na hora do pedido, os macarrões podem ser feitos na máquina ou na mão. Como? Vai lá ver, tem um chinês profissa na vitrine, é impressionante.

São vários tipos de sopas / macarrão. Macarrão oriental invariavelmente vem com sopa junto, muita coisa, tudo boiando. O carro-chefe da casa é o Macarrão Apimentado com Frutos do Mar (e carne de porco, que eles não vivem sem): custa R$ 20. Eu sugiro também a Sopa Agre-Apimentada, que tem bastante vinagre no caldo, R$ 18. Tem yakissoba tradicional, mas não é essa a proposta se você está lá. Os pastéis chineses (guiozá e afins) são ótimos também, a porção é considerável e custa R$ 16. Tem também várias conservas tradicionais, de acelga, de bucho suíno e outros vegetais, R$ 6 em média. Se prepara no olfato! (Nota do editor: CRUZES! AAAH! SOCORROOOO!)

Acho que todas as opções do cardápio tem versões vegetarianas, o que é ótimo, porque é um bom lugar pra ir acompanhado de qualquer pessoa “gastronomicamente interessada”, a não ser que você seja glutão. A sua companhia, portanto, pode ser uma pessoa que não come carne!! Todos os macarrões / sopas dão pra três pessoas normais fácil. Ou dois ogros… então a conta fica decente.

O lugar é simples, as mesas são simples, o atendimento é simples. A fila existe e a hostess não deve entender muito português, só na hora de fazer as contas, porque ela também é o caixa. NÃO ACEITA NENHUM CARTÃO. Só dinheiro e cheque.

Serviço
Rong He (Restaurante de Massa Chinesa)
No quarteirão seguinte da Choperia Liberdade, lado direito, não tem placa.
R.da Glória, 622A, Liberdade, São Paulo – SP.

Natalli Tami

Eu MORRO de medo de restaurante buffet que diz que é de “comida japonesa e chinesa”. Porque, calma lá, isso não existe, né? Ou você faz comida japonesa, ou você faz comida chinesa. A mesma cozinha vai fazer pratos com temperos tão diversos? É a mesma coisa que o ocidental falar “ah, japonês e chinês é tudo igual”. OK – EU SEI QUE VOCÊ TAMBÉM ACHA ISSO, mas não confesse.

Bom, disse tudo isso para concluir que existe um lugar específico que eu respeito, mesmo que eles façam um mix enlouquecedor-bizarro. Lembra da Itikiri Itiriki Bakery? Pois eles tem um restaurante também, ali pertinho, o Itikiri Itiriki… Grill, ou Restaurante, ou qualquer coisa assim – eles não se decidem, em cada lugar tá escrito de um jeito hahaha!

Lá no Itikiri Itiriki a variedade é gigantesca. Eu acho os sushis honestos (apesar de ter receio de comer sushi em buffet) e os pratos quentes BEM gostosos – tem frango com laranja, yakissoba, tofu frito… Acho que os pratos devem mudar de acordo com o dia. O preço do quilo não é muito barato – R$ 27,90 – mas acaba valendo a pena, sim – o meu prato, eu que sou ogro, deu R$ 15.

Obs.: eles vendem temaki avulso por R$ 7. Não experimentei, então não sei se é bom.

Serviço
Itikiri Itiriki qualquer-coisa
Praça da Liberdade, 159 – saindo do metrô, é quase do lado do Banco Bradesco.
Tel. 11-3341 7528

Jorge Wakabara

A Liberdade possui material suficiente prá gente fazer um blog só de PobreJaponêsTambémCome, se pobre e japonês fossem juntos na mesma frase. Porém, o que nem todo mundo sabe é que lá você pode comer no melhor e mais barato restaurante coreano. E o que tem o melhor nome, também.

Estou falando do Sweet Heart, um restaurante pequenininho que fica numa das bocadas da Rua dos Estudantes. Você desce a rua esbarrando na maior sorte de lojas de utensílios domésticos, e, quando vê, está dentro dele. Não deixe a portinha quadriculada de madeira e vidro te intimidar.

A comida é um capítulo a parte. Além de muito saborosa, as porções de guioza e rolinho primavera são baratas e muito bem servidas. Se você acha que guioza e rolinho são meras entradas, nossos amigos de coração doce te mostrarão que não. Peça meia-porção para poder provar o resto.

De prato principal, eu costumo pedir o yaki-bifun, que é um yakissoba feito de bifun, aquele macarrão fininho feito de arroz. Aí, olha a sacada: na última vez que fui lá, meu namorado queria comer frutos-do-mar, e eu, yaki-bifun. Acabamos pedindo um bifun com frutos-do-mar e não saiu tão mais caro, coisa de R$ 16, para dividir em dois e repetir o prato.

Um aviso: o Sweet Heart não aceita cartões, só dinheiro e cheque.

O lugar não é o mais indicado para levar o boy, mas acaba que eu SEMPRE levo algum lá. A experiência compensa a feiúra do lugar, acho.

Serviço
Sweet Heart
Rua dos Estudantes, quase esquina com a Rua da Glória (inclusive, o boteco da esquina é parte do restaurante, quando o primeiro lota) – Liberdade – São Paulo, SP.
Segunda a sábado, das 11h às 20h. Domingo, das 11h às 18h.

Bia Bonduki

Ufa, primeira sugestão no bairro da Liberdade! Eu, um legítimo sansei, tava morrendo de vergonha de não ter dado nenhuma dica de japonês. Maíra Goldschmidt, essa coisa linda e pequenininha, sugere o Nandemoya – que eu ia com a minha tia há muuuito tempo, mas pelo visto ela garante que continua bom!

Aos domingos, o Nandemoya (Rua Américo de Campos, 09, na Liberdade) é ótimo. Com R$ 16 ou R$ 17 come-se bem. Como o bairro indica, é restaurante japa. É um bandejão de sushis, sashimis, yakissoba, bifun, hot-roll (amo!) e até batata frita smile (afinal, tem gosto para tudo). Como sempre está cheio, o peixe fica fresco – pode comer sem nojo. O público varia de famílias caretas tradicionais a um povo moderno (desses que vão depois assistir a alguma coisa no Espaço Unibanco ou tomar um café na Fnac -hahaha). Fica aberto a semana inteira (até 15h30, se não me engano), mas domingo é mais legal.

Tá, eu não confio muito nessa coisa de sashimi de bandejão, mas prometo que vou tentar e digo o que achei. E quem tiver ido pode se manifestar pelos comentários também!

Serviço
Nandemoya 
R. Américo de Campos, 9, Liberdade, São Paulo – SP.
Tel. 11-3208 8604