Posts Tagged ‘torta’

Contribuição sempre bem humorada de Raul Andreucci, o terror da mulherada, Beto Mito nas horas vagas, doutor em futebol e PhD em saca-rolhas.

Tá, o dia dos namorados já passou. Mas sempre é tempo de ser romântico e comer bem. E uma boa pedida (ai, jornalista de serviço adora esse termo, né? um luxo!) pra nós, pobres (mortais), é o Blú Café.

É um “café & bistrô”, que fica ali na Rua Monte Alegre, em Perdizes, perto da PUC. É um lugar pequenininho, que mais parece uma casa bem aconchegante do que um restaurante sofisticado (e as comidas são, sim, sofisticadíssimas, viu!). Ajudam a compor esse ambiente os móveis antigos, a decoração meio européia e o jazz ao fundo (todas as quartas, sextas e sábados à noite). É aquela coisa: você senta e já se sente à vontade.

Melhor ainda que, quando você começa a se preocupar com o preço ou que vão achar que você não tem grana o suficiente para estar ali, os garçons aparecem com uma simpatia bem sincera e te mostram um menu com preços bem consideráveis. Eu não guardei bem o quanto era cada coisa porque sexta, quando fui ao Blú, tomei duas garrafas de vinho e, bem, vocês sabem… Mas garanto que há o que comer por volta dos 20 pilas, como o delicioso quiche, ou só para acompanhar um café, como as tortas doces (que hoje Deus não me permite mais comer).

Claro, se você gosta de falar que é pobre porque é hype ou está em alguma sistema de cotas mas tem grana…. amigo… se joga! Tem pratos ótimos por volta de 30, 40 mangos. Mas é sofisticado, hein. Não vai esperando um bife a cavalo. Eu sei, vão ter uns nomes estranhos que nem o chef sabe falar, mas vai na fé. Porque o trunfo do rango do Blú (é até uma blasfêmia chamar os pratos deles de rango, mas, como eu sou rebelde sem calça…) são as combinações. Não ache que tem coisa ali só pra decorar (se bem que, é, até tem…). É tudo pensado (ou me fizeram parecer que é), tudo junto ali na sua boca entra em uma harmonia que muda o sabor de uma maneira quase orgasmática, se assim vocês, puritanos, me permitem dizer.

Mas chega de lenga-lenga e vamos ao que interessa. Se o que vale nessa vida é a didática e a etiqueta, aprendam:

SOU POBRE, ME AJUDA, TIO! Nada de carta de vinhos para você. Vai extrapolar logo de cara o orçamento. Fique no chope. Sabemos que você gosta, e este vem numa caneca generosa e trincando. Entradas? Nem pensar. Finja que passou só para um lanche e peça o “Quiche com salada verde ao vinagrete de ervas”, como quem não quer nada. Vai te sustentar, garanto. E ainda dá pra pedir sobremesa, uma das tortas ou a salada de sorvetes.

SOU CLASSE MÉDIA METIDO A BESTA, MAS MÃO-DE-VACA E NÃO PRECISO DA SUA AJUDA! Precisa sim, bem. Aceite a carta de vinhos do garçom, não precisa ter medo. Você vai se assustar com alguns preços, mas tem alguns por volta de cinqüenta reais que já ajudam a dar aquela malemolência gostosa. Não precisa pedir entrada, porque isso é coisa pra grã-fino mesmo, mas não faça aquela cara de irritado quando colocarem o couvert na mesa. Enjoy! Faça tudo com calma, você foi lá para curtir, não pra pensar nos preços. Dinheiro é pra ser gasto. Peça uma massa ou uma carne e take it easy, os pratos podem parecer insuficientes pra você que come um prato de arroz-feijão enorme, mas sustentam. E guarde espaço para a sobremesa, elas valem a pena. E sobremesa, pô, até pobre come!

Serviço
Blú Café
Rua Monte Alegre, 591, Perdizes, São Paulo – SP
Tel. 11-3871 9296
www.blucafe.com.br

Raul Andreucci

(Obs.: a gente adora o Raul porque ele fala “se joga” com naturalidade, mesmo sendo um jornalista hétero especializado em esportes!!!)

Acordou com uma vontade louca de comer empanadas chilenas ao som de I will always love you em ritmo de salsa? Não se desespere, PobreTambémCome tem a solução: corre lá no El Guatón (ou, para os íntimos, só “chileno”).  

Quem ia fazer esse texto era o Heitor, mas a pessoa tá demorando DEMAIS, então eu assumi a tarefa. O Chileno é famoso pelas empanadas, muito gostosas, com uma massa ótima e bastante recheio. As que são assadas custam R$ 4 e tem sabores como carne (a mais famosa), queijo, pizza, calabresa e mais uns três ou quatro. A de mariscos é um pouco mais cara, custa R$ 6. Também tem a versão frita, mas só em três opções: queijo e carne (R$ 4 cada) ou camarão com queijo (R$ 6). O único defeito é que não tem empanada de carne seca, quesito no qual o bar Empanadas ganha (aliás, pra mim, o único quesito… o Chileno num tem a muvuca nem a fila de espera do Empanadas, acho a comida mais gostosa e se duvidar até mais barata).

Se a fome for maior, no cardápio tem um monte de prato, todos tipicamente chilenos, de preços que vão dos R$ 20 aos R$ 60! Tem ceviche, congrio (um tipo de peixe), feijão e milho nas mais variadas formas, e até ostra pra comer com limãozinho! De sobremesa, pudim de leite ou uma torta de massa folhada com recheio de doce de leite (não sei o preço, se alguém souber…). Pra beber, cerveja (a Serra Malte custa R$ 6), tequila, caipirinha, suco, refrigerante e por aí vai…

E a trilha sonora?! Ah, a trilha sonora… Impagável. O som vai de Macarena a Feelings versão caribenha em segundos. O dono também é uma figurinha: um senhor baixinho, gordinho e de óculos fundo de garrafa, em geral de bom humor. Aliás, o nome do bar é uma homenagem à sua forma física: ‘el guatón’ é tipo um apelido para uma pessoa barriguda.     

Ah! E aceita VR!

Serviço
El Guatón
R. Artur de Azevedo, 906, Pinheiros, São Paulo – SP
Tel. 11-3085 9466     

Mari Tavares

Minha relação com a Dona Deôla da Av. Pompéia não envolve café com leite nem pão com manteiga, apesar de eu ser tarada por essas coisas. É uma relação puramente pragmática: trabalho na cercania, preciso almoçar, portanto é lá que eu vou.

Sim, a Dona Deôla tem comida. Mais especificamente, um buffet self-service no horário do almoço – o horário exato eu não sei, mas com certeza das 12h às 15h rola. Só não é muito sábio chegar no fim da feira (como em qualquer outro self-service) porque a salada não vai estar tão bonita nem a comida tão fresca: eles vão repondo ao longo do tempo, mas chega uma hora que eles páram, né…

As opções em salada são boas, com vários tipos de folha, tomate, tábua de frios e o mais importante de tudo: ovinhos de codorna! Os pratos quentes vão mudando durante a semana, mas sempre tem arroz, um tipo de torta, um tipo de carne e outro de frango, sem contar uma bandeja de salgadinhos, tipo mini-croquete, mini-coxinha e essas perdições todas. De sexta-feira é o dia mais gostoso, que é quando tem peixe e frutos do mar, como camarão na moranga. A única reclamação – e acaba sendo uma dica preciosa: as massas, que ficam em panelas a vapor, estão sempre frias. SEMPRE. Aquelas panelas a vapor são uma enganação. Fuja delas.

Enfim, dá pra comer gastando uns R$ 10. Eu como pouco e gasto R$ 7. Se você tiver com uns trocados a mais na carteira, vale muitíssimo a pena aproveitar-se do fato de estar dentro de uma padaria e comer uma sobremesa gostosa e despudoradamente engordativa. Eu recomendo o mini-sonho ou a carolina, que lá vem em versão doce de leite ou chocolate (apesar de carolina de chocolate ser uma incoerência, porque se o recheio é chocolate já vai pra chave classificatória da mini-bomba, não é mais carolina. Carolina que é carolina tem recheio de doce de leite, né não?… mas isso é outra discussão).

IMPORTANTE: Dona Deôla aceita VR* (pelo menos a da Pompéia eu sei que aceita). E todas as quatro casas são 24h! Não vai ter buffet de almoço às 3h da manhã, né, mas um pãozinho na chapa sempre engana a fome…

Serviço
Dona Deôla Pães, Doces e Cia.
Av. Pompéia, 1937, Pompéia, São Paulo – SP.
Tel. 11-3672 6600

R. Pio XI, 1377, Alto da Lapa, São Paulo – SP.
Tel. 11-3022 5640

R. Conselheiro Brotero, 1422, Higienópolis, São Paulo – SP.
Tel. 11-3826 4648

Rod. Raposo Tavares, km 22, Granja Viana, São Paulo – SP.
Tel. 11-4612 2288

http://www.donadeola.com.br/

*Nós do PobreTambémCome sabemos da importância do VR em nossas vidas. Por isso, a idéia é trazer essa informação em todos os restaurantes postados; até ingressamos num trabalho de resgate dos posts antigo, pra complementar com este dado. Aos poucos a gente consegue fazer o levantamento de todos, ok?

Mari Tavares

Dica do Ferdie. Acho que é a Mari que não gosta da Bella Paulista, né? Tô nem aí, eu gosto. HAHAHA Adoooro a pizza portuguesa deles – para comer no balcão mesmo, bem paulistano. O Fer, por sua vez, sugere o buffet de sopas.

“Uns 20 reau. Fui lá ontem. Tinha cinco tipos de sopa, alguns tipos de pães, pães recheados, tortas doces, pães doces, patês, pão de queijo, suco de laranja, bolos e tralalá”.

O Fer sugere ir de domingo – após as 18h, que é quando começam a servir o buffet. É para comer loucamente e sair rolando, bem bolinha. Foda é esperar a fila, geralmente gigantesca. Serviço
Bella Paulista
R. Haddock Lobo, 354, Cerqueira César, São Paulo – SP.
Tel. 11-3214 3347
www.bellapaulistaonline.com.br

ATUALIZAÇÃO: para ser + exato, o buffet é R$ 19,80!

O Vanilla Café! O resto da dica da Tami, abaixo:

Aliás, no Vanilla Café tem um frapê de café com sorvete Belgian Chocolate Hagen Das por R$ 7 que é um absurdo. Um novo refúgio pra quem odeia o Frans Café. 24h, wi-fi, café e comidas boas e baratas (saladas com torta boa por R$ 12, se não me engano). Mas não é um bom lugar pra jantar com peguete…

É, gente, com o peguete, ali, só tomar café. E cuidado se for gay: rolam uns olhares de cobiça nas outras mesas. HAHAHA
Obs.: é 24 horas!

Serviço
Vanilla Caffe (sic. pois é, é assim que se escreve)
R. Antonio Carlos, 404, Consolação, São Paulo – SP.
Tel. 11-3262 3943
www.vanillacaffe.com.br (veja site para outras unidades)