Posts Tagged ‘sushi’

Mais uma temakeria? Siiim! Mais um lugar na Liberdade? Siiim! Vai me dizer que eu consigo comer com uma nota de R$ 10 e outra de R$ 5? Acertou.

A desvantagem de ir de carro até a Liberdade, em fins de semana, é achar onde estacionar. No sábado, fui com meu namorado, tendo como destino inicial um almoço no Sweetheart. Roda, roda, resolvemos parar no nosso estacionamento do coração (na Rua Barão de Iguape, entre a Galvão Bueno e a Avenida Liberdade, só R$ 5 – porque pobre também estaciona). No caminho, um cartaz nos fez mudar de idéia: temaki de salmão a R$ 6,50. Segura.

A Temakeria Narita é como se fosse um barzinho à parte do restaurante, a poucas casas de distância. O bom de lá é que eles fazem combos. Pedimos um que vinha um temaki de salmão e um de salmão com shimeji, mais refrigerante ou água. Tudo por R$ 15. A alga veio crocante, evitando puxa-puxas desagradáveis. O tamanho era bom e o peixe fresquinho.

Além dos outros combos maiores, lá também é servido um rodízio com vários tipos de temaki e alguns sushis de lambuja, por R$ 26.

E por que eu falei da nota de dez e de cinco? Bom, porque os combos incluem até o serviço, ou seja, você não paga um centavo a mais no final. Ótimo, né?

Serviço
Temakeria Narita
Rua Américo de Campos, 154, Liberdade, São Paulo – SP

Bia Bonduki

Seguindo a dica da freguesa Fafá Gallo, vou falar aqui de alguns mercados naturebas que têm comidinhas boas e baratas:

Natural da Terra – com cinco lojas espalhadas em São Paulo, o Natural da Terra possui uma lanchonete/ sushibar com várias delícias. Quando vou lá, vou pelo temaki: gigante, fresquinho e vale por uma refeição. Um de salmão fica uns R$ 14. Aí, outro dia, estava na casa do meu tio e ele trouxe pastéis de lá para fazer um aperitivo. O resultado foi que ninguém almoçou, dado o tamanho “travesseiro” de cada pastel. Ou seja, ninguém sai de lá com fome, isso é certo.
O Natural da Terra tem site, mas vá com tempo, porque é todo em flash, demoradíssimo.

Quitanda – é quase a mesma proposta do NT, mas com o contra de ser meio caro para um supermercado. Todo dia eles servem um buffet de sopas, com três variedades. Infelizmente, eu resolvi ir lá provar bem no dia em que os sabores eram mandioquinha, abobrinha e queijo. Mas a enjoada da história sou eu. No fim pedi um bauru que estava uma delícia, e custava uns R$ 5,90. A coxinha também é muito boa, mas vem nadando em óleo. A pedida é comer os salgados por lá, e fazer como meu namorado e eu, que compramos uma caixa de morangos (as frutas são baratas, ao menos) e uma lata de leite condensado, e fomos terminar o jantar em casa.

Serviço
Natural da Terra
Unidade Moema
Alameda dos Nhambiquaras, n° 3493

Unidade Alto da Boa Vista
Avenida Santo Amaro, n° 6618

Unidade Brooklin
Avenida Santo Amaro, n° 3493

Unidade Itaim
Rua João Cachoeira, n° 1351

Unidade Higienópolis
Rua Rosa e Silva, n° 211

Funciona todos os dias, das 7h30 às 22h, inclusive feriados. Tudo São Paulo.

Quitanda
Unidade Pinheiros
Rua Mateus Grou, n° 159 – Pinheiros
Telefone: (11) 3081-7901

Unidade Lapa
Rua Diógenes Ribeiro de Lima, n° 3029 – Alto da Lapa
Telefone: (11) 3834-4113

Funciona de segunda a sábado, das 7h às 21h, e domingos e feriados das 8h às 18h. Tudo São Paulo.

Bia Bonduki

E não só japonesa: chinesa e tailandesa também, num só lugar. Parece ruim, né? Acrescente mais isso: dentro de um shopping center! Essa mistureba toda, que a princípio tem a maior cara de buffet de churrascaria, foi minha melhor surpresa em Curitiba.

Curitiba, na minha opinião, é uma das melhores cidades pra se comer no Brasil. Aproxima-se muito do padrão paulistano nos quesitos qualidade e variedade (Santa Felicidade é famosa por seus restaurantes de origem italiana, mas a cidade oferece um cardápio internacional), mas com um diferencial fundamental: a relação custo x benefício. Come-se muito bem pagando pouco ou um bom preço. Curitiba poderia ser a capital brasileira do Po.T.Co. Mas isso é com o editor do site.

Bom, dentro do Shopping Estação (uma antiga estação de trem reformada e transformada em mall) há uma infinidade de lanchonetes e restaurantes para todos os gostos. Mas o que me chamou a atenção foi o Gô! Restaurante Asiático. Durante o almoço, um buffet de iguarias do extremo oriente e sobremesas típicas por um preço atraente. Peixes fresquíssimos, frituras sequinhas e um tempero fantástico. Para um almoço executivo, nem muito spicy e nem insosso.

O cardápio tem uma grande variedade de pratos japoneses e chineses e alguns tailandeses. Um combinado de sushis sai por R$ 14; o tradicional frango xadrez custa R$ 16; e representando a Tailândia, o arroz do Sião custa R$ 15. O restaurante tem dois andares e eu recomendo sentar no andar de cima, mais arejado, aproveitando o alto pé direito do shopping. E dá pra dar uma olhada nos curitibanos que passam pelo lugar.

Serviço
Gô! Restaurante Asiático – Shopping Estação
Av. 7 Setembro, 2775, lj 1090, Curitiba – PR
Tel. 41-2101 8555

João Marcelo

 

Tipo Viena, mas é bem melhor! Aqui em BH tem um restaurante, o Graciliano, que provavelmente deve virar uma grande rede muy em breve – por enquanto só tem três e eu fui no do Belvedere, porque IEU SÔ CHIQUE, BENHÊ.

Tem café da manhã – que todo mundo fala bem, a Natália Dornellas recomendou e tudo – e almoço. Fui no almoço com o Roberto. Bem bom: tem MUUUITA variedade, do mexidão típico ao peixe, passando pelo sushi e por uma variedade ótima de salada. Tinha até uma pêra, acho que ao vinho.

O mais gostoso são as garrafinhas de sucos – o do Bob acho que era morango com alguma coisa, e o meu era o exótico limão com manjericão. Tipo tempero, né, gente? Eu adorei, mas faz cócegas na garganta. Sério.

Bom, o almoço não sai tão barato – para o buffet livre eles cobram R$ 30 e lá vai pedra. Mas existe a opção de comer por quilo. Eu, que normalmente gasto R$ 14 em quilo de São Paulo, por aí, fechei minha conta em exatos R$ 18,73, com o suco, sem sobremesa. Bom, né? Eu achei.

Acho que com isso eu encerro minhas experiências gastronômicas em Belo Horizonte – POR ORA. Afinal, tenho um bom motivo para voltar… PRONTO,FALEI.

Serviço
Graciliano
Av. Luiz Paulo Franco, 721, Belvedere, Belo Horizonte – MG.
Tel. 31-3286 8505

Jorge Wakabara

Tokyogaqui é uma exposição superbacana que está acontecendo no Sesc Avenida Paulista. É para se divertir: tem aquelas máquinas de dancinha, videogame, vídeo para aprender coreografias pop japonesas, karaokê… Bom, e o que isso tem a ver com os PobresQueTambémComem?

Muito! O Sesc é tão foda que incluiu um cardápio japonês na Comedoria de lá! Lembra que a gente comentou sobre a Comedoria do Sesc Pinheiros? Pois é, o da Avenida Paulista também tem a sua. E, por causa da Tokyogaqui, eles prepararam um cardápio especial com sushis! É tudo bem baratinho, casa prato custa cerca de R$ 7.

Mas o MAIS LEGAL DE TUDO é que no dia 01.05, feriado do Dia do Trabalho, eles chamaram um chef que relê conceitos da cozinha japonesa para fazer dois pratos especiais, cada um custando R$ 18! Deve ser uma delícia: tem costela de porco no missô com vários acompanhamentos em um, e sushi empratado (oi? Não sei o que é isso mas me soou como uma coisa gostosa) com arroz temperado com peixe, ovas, nabo e wasabi no outro. Inclui chá quente ou gelado! Vai rolar no dia 02.05 também, e tem vendas antecipadas na unidade do Sesc. Se eu fosse vocês, eu ia – eu estarei em Belo Horizonte nessas datas, CHUINF, então vá por mim e me conta depois!

Serviço
Cardápio especial Tokyogaqui @ Comedoria do Sesc Avenida Paulista
Av. Paulista, 119, 15º andar, metrô Brigadeiro, Paraíso, São Paulo – SP.
Tel. 11-3179 3700 / 0800 118 220
www.sescsp.org.br

Jorge Wakabara

Quem me conhece e já me perguntou algum dia sobre o meu restaurante japonês preferido já sabe. Eu sempre respondo na lata: Yamaga. Ele não é da moda, eu não faço idéia do nome do sushiman, e ali não existe espaço para invenções bizarras do tipo sushi de morango. Aliás, nem hot roll eu vi por lá. That means tradition, baby (eu falaria isso em japonês se soubesse como).

Por que eu gosto do Yamaga? Porque o sashimi tem um corte lindo, o tamanho certo e é sempre delicioso. Porque eles variam os tipos de peixe cru horrores – já comi vários por lá que eu não faço idéia de como chamam, mas são todos deliciosos. Porque lá não tem frescura. Porque o sushi é gostoso e feito com capricho, sem parentesco algum com aqueles sushis de rodízio que a gente está acostumado a comer.

Só que sempre existiu essa mítica de que o Yamaga era um lugar para eu ir com meus pais, porque afinal ele era caro. Mas era tudo mentira, minha gente! Fui lá com a Tata dia desses e me surpreendi ao olhar o cardápio: um combinado individual custa em média R$ 25, um pouco mais… Ou seja: um pouco menos do que você gastaria num rodízio decente, e OK – você não vai sair rolando que nem você sai do rodízio, mas você estará comendo um sushi infinitamente superior, então não reclama!

Na verdade a minha dica é ir em quatro amigos e pedir aquela barca enorme de sushis – custa menos de R$ 150, o que, dividido por quatro, dá um pouco mais de R$ 30. Na conta final, com bebida etc., vai dar uns R$ 40 para cada – mas eu juro que vale cada centavo. Juro. Não tô ganhando para falar isso, não, é sério!

Fora que existe uma regra essencial para o restaurante japonês: os bons são freqüentados por japoneses. Se você não viu nenhum japonês cliente lá dentro, desconfie. No Yamaga, sempre tem japonês.

Serviço
Yamaga
R. Thomas Gonzaga, 66, Liberdade, São Paulo – SP.
Tel. 11-3275 1790

Jorge Wakabara

Nós, pobres que moramos sozinhos, conhecemos muitos restaurantes. É verdade. Principalmente para a hora do almoço – porque só estamos em casa nesse horário se estivermos doentes. Afinal, temos que trabalhar para pagar… a conta dos restaurantes que freqüentamos! Também sabemos quase de cor o telefone de deliverys da região de casa. Mas também somos capazes de fazer a nossa própria comida. Não, não vou convidar ninguém para experimentar as gororobas que faço. Mas já evoluí muito desde que sai da casa da minha mãe e – posso dizer sinceramente – até gosto das atividades no fogão.

Aprendi com o tempo, claro, que para fazer uma comidinha com o mínimo de sabor, é preciso ter em casa alguns ingredientes (no meu caso, alho, cebola, manjericão – é mínimo de sabor, prestou atenção?) e que temperos prontos são uma enganação. O legal é comprar, lavar, picar, fritar etc com as próprias mãos. E toda essa introdução, que já deve ter feito o Jorge dormir [Nota do editor: zzzz], é para falar do sacolão que freqüento. A vida ficou muito mais fácil – e econômica – depois que passei a fazer minhas compras semanais no Sacolão de Higienópolis.

Lá, além de legumes, verduras e frutas, que é o básico de um sacolão, tem carne, peixe fresco, laticínios, vinhos (com preços ótimos e não são aqueles de garrafão, tem vinho chileno, argentino, português), geléias (as Queensberrys custam cerca de R$ 2 a menos do que nos supermercados), cogumelos (porque dá preguiça de ir até o mercado municipal, né?), grãos (linhaça, inclusive, que amo e faz bem principalmente para as mulheres por causa do efeito sobre os hormônios), pão integral, geladeira com Häagen-Dazs, iogurte, requeijão, essas coisas. Vende bandejinhas de sushi – eu nunca comprei porque não tenho coragem… E há um espaço para produtos kosher.

Na parte de fora, tem água de coco, garapa e pastel – ótimo para comer no domingo meio de café-da-manhã-almoço. E flores. Lindas, um monte de tipo. (ai! Fiquei fofa nessa parte do post!). Abre cedo – acho que 8h (mas isso não importa porque duvido que alguém vá cedo!) – e fecha às 20h durante a semana e 13h aos domingos. É dica para quem mora por ali mesmo – Santa Cecília, Vila Buarque e Higienópolis – mas se alguém tiver disposição para pegar carro ou ônibus com sacolas, eu recomendo. Vale a economia de 30%, em média, se comparado ao gasto no Pão de Açúcar.

Serviço
Sacolão de Higienópolis
R. Dona Veridiana, 162, Higienópolis, São Paulo – SP.
Tel. 11-3222 0678

Maíra Goldschmidt 

Podem me chamar de bairrista, porque só mando dicas de baratex da Vila da Saúde. Mas como não contar que lá na Luís Góes, uma famosa rua da região, tem um Hortifruti maravilhoso que tem uma lanchonete espetacular com um monte de coisas baratas e deliciosas?!

A minha dica é a esfiha de carne que é a melhor que eu já comi na vida e olha que de comida eu entendo. Tem também o suco naturalíssimo [jarra] de acerola que é uma delícia e serve 3 copos. Os dois saem por menos de R$ 5. Mas se vc quiser uma coisa com mais “sustança”, tem um japa que faz comida de japa que é muito bom, né? Um combinado individual custa R$ 16 e os peixes são super frescos.

E por falar em frescos: as frutas, verduras e legumes desse Hortifruti são incríveis de bonitas e suculentas, mas o preço é um pouco mais caro que nos outros lugares. Também pudera, lá eles vendem qualidade e saúde. Vale a pena comprar a uva sem semente, que sai mais ou menos por R$ 6 o saquinho. O preço é salgado mas o sabor, você nem acredita!!

Lado ruim do lugar: vive cheio, mas eles acabaram de ampliar o estacionamento e se a lanchonete estiver lotada, pode sentar e esperar que o seu combinado vai demorar um pouquinho. Mas vale a pena! O consolo é a geladeira de Melona que tem no caixa, com vários sabores de Melona!! [Nota do editor: é aquele sorvete japonês, de melão, banana…]

Então, se você estiver indo ao Shopping Santa Cruz ou para a praia, dá uma passadinha lá e aproveita para comprovar essas delícias que lhe indico. Da Imigrantes, você sobe a Luís Góes e o Hortifruti Sabor é na altura do número 200.

Hummm, acho que eu vou almoçar lá hoje!

Cinthia Reis

+ um colaborador – BEM SUCINTO. Gente, porque esse povo insiste em publicidade? Jornalismo é muito mais legal. Segue o primeiro textinho do Caju!

Sushi Kiyo, japonês tradiça escondido na R. Tutóia. Sempre tem famílias e executivos japoneses almoçando. O q liga é pedir o Teishoku, q é o PF deles. Vem muita coisa e a dica é cada um pedir um Teishoku de cada (tempurá, sushi…) pra todo mundo dividir. Pra qualidade da comida – o corte do peixe é muito bom – sai barato, uns R$30, bem menos que um rodízio decente. No frio, peça o Tempurá Udon, que é delicioso e mais barato. Manobrista na faixa.

Serviço
Sushi Kiyo
Rua Tutóia, 223, Paraíso, São Paulo – SP.
Tel. 11-3887 9148
www.sushi-kiyo.com.br

Guilherme Nóbrega

O Henrique é meu amigo de infância e uma das pessoas mais engraçadas que eu já conheci. Aí fui pedir uma dica para ele aqui para o blog e ele me responde com uma MEGADICA. Talvez a melhor que a gente já publicou até agora – se bem que essa aqui debaixo do Frango com Tudo tá competindo super.

Na Cunha Gago, bem perto do Japodrão, existem duas lojas tipo-Liberdade, de produtos japoneses. A Gaivota, que é a maior, funciona até as 19h.

Nas palavras do próprio Henrique:
“Eles vendem bandejas de sushi – sushi, se não é consumido no dia, estraga. Daí que se você vai 18h50 lá e começa a enrolar até eles fecharem a porta com você lá dentro, e você passar no caixa nessa hora, eles vão te oferecer bandeja de sushi de graça – porque não podem deixar para o dia seguinte. E você faz cara de ingênuo, tipo, oi, ah sim, adoraria levar uma bandeja de sushi“.

COMO ASSIM, NÉ?! Parece mentira. Mas eu confio no Henrique. Vamos testar? Quem topa?!

Obs.: Henrique manda lembrar que o sorvete Melona, aquele de melão que faz o maior sucesso na Liberdade, é mais barato na outra venda, sem ser a Gaivota – fica na frente, é menorzinha. Lá, está R$ 3,20. Na Liberdade é R$ 3,50.

Serviço
Gaivota e a outra lojinha de produtos japoneses
R. Cunha Gago, perto da Preçolandia, entre a Teodoro Sampaio e a Cardeal Arcoverde, Pinheiros, São Paulo – SP.

Jorge Wakabara