Posts Tagged ‘Raul Andreucci’

Copo sujo é assim – como diz nossa amiga Simone, é bom não checar se o copo está realmente sujo, porque invariavelmente… ele estará. Em uma nova estadia em BH – dessa vez com o estimado Beto Mito – passamos por mil e uma aventuras, inclusive o Xoq Xoq, que é do ladinho da Cantina do Lucas mas tipo primo pobretão. Ou seja, dos nossos. Segundo o Alexandre, é um local frequentado por mundrungos made in UFMG. Tipo o Rei das Batidas de lá, sabe como é?

(Acabei de reparar que não tem um post do King of the Beats aqui! Absurdo!)

O Xoq Xoq possui uma vantagem enorme em cima de outros copos sujos que eu conheço. Ele fica em BH. Isso quer dizer que você gasta MENOS AINDA. Na continha: pedimos uma porção de lingüiça (foi isso, Raul?), uma outra de carne seca com mandioca, tomamos ONZE cervejas (a maioria destas em apenas três pessoas, porque a Simone e o Hudson não ficaram o tempo todo conosco). Total: R$ 60 e poucos reais. Ridículo, né? Descontando o pouquinho da Simone e do Hudson, dá menos de R$ 20 para cada! Por um sábado inteiro bebendo e comendo!

Diquinha: caso sua barba esteja grande, aproveita para passar num dos salões de lá do Maletta (que é o edifício onde ficam a Cantina do Lucas e o Xoq Xoq). O salão Penta fez o serviço direitinho e eu paguei R$ 9.

Serviço
Xoq Xoq
Av. Augusto de Lima, 233, lá dentro, Centro, Belo Horizonte – MG.

Jorge Wakabara

Anúncios

Contribuição sempre bem humorada de Raul Andreucci, o terror da mulherada, Beto Mito nas horas vagas, doutor em futebol e PhD em saca-rolhas.

Tá, o dia dos namorados já passou. Mas sempre é tempo de ser romântico e comer bem. E uma boa pedida (ai, jornalista de serviço adora esse termo, né? um luxo!) pra nós, pobres (mortais), é o Blú Café.

É um “café & bistrô”, que fica ali na Rua Monte Alegre, em Perdizes, perto da PUC. É um lugar pequenininho, que mais parece uma casa bem aconchegante do que um restaurante sofisticado (e as comidas são, sim, sofisticadíssimas, viu!). Ajudam a compor esse ambiente os móveis antigos, a decoração meio européia e o jazz ao fundo (todas as quartas, sextas e sábados à noite). É aquela coisa: você senta e já se sente à vontade.

Melhor ainda que, quando você começa a se preocupar com o preço ou que vão achar que você não tem grana o suficiente para estar ali, os garçons aparecem com uma simpatia bem sincera e te mostram um menu com preços bem consideráveis. Eu não guardei bem o quanto era cada coisa porque sexta, quando fui ao Blú, tomei duas garrafas de vinho e, bem, vocês sabem… Mas garanto que há o que comer por volta dos 20 pilas, como o delicioso quiche, ou só para acompanhar um café, como as tortas doces (que hoje Deus não me permite mais comer).

Claro, se você gosta de falar que é pobre porque é hype ou está em alguma sistema de cotas mas tem grana…. amigo… se joga! Tem pratos ótimos por volta de 30, 40 mangos. Mas é sofisticado, hein. Não vai esperando um bife a cavalo. Eu sei, vão ter uns nomes estranhos que nem o chef sabe falar, mas vai na fé. Porque o trunfo do rango do Blú (é até uma blasfêmia chamar os pratos deles de rango, mas, como eu sou rebelde sem calça…) são as combinações. Não ache que tem coisa ali só pra decorar (se bem que, é, até tem…). É tudo pensado (ou me fizeram parecer que é), tudo junto ali na sua boca entra em uma harmonia que muda o sabor de uma maneira quase orgasmática, se assim vocês, puritanos, me permitem dizer.

Mas chega de lenga-lenga e vamos ao que interessa. Se o que vale nessa vida é a didática e a etiqueta, aprendam:

SOU POBRE, ME AJUDA, TIO! Nada de carta de vinhos para você. Vai extrapolar logo de cara o orçamento. Fique no chope. Sabemos que você gosta, e este vem numa caneca generosa e trincando. Entradas? Nem pensar. Finja que passou só para um lanche e peça o “Quiche com salada verde ao vinagrete de ervas”, como quem não quer nada. Vai te sustentar, garanto. E ainda dá pra pedir sobremesa, uma das tortas ou a salada de sorvetes.

SOU CLASSE MÉDIA METIDO A BESTA, MAS MÃO-DE-VACA E NÃO PRECISO DA SUA AJUDA! Precisa sim, bem. Aceite a carta de vinhos do garçom, não precisa ter medo. Você vai se assustar com alguns preços, mas tem alguns por volta de cinqüenta reais que já ajudam a dar aquela malemolência gostosa. Não precisa pedir entrada, porque isso é coisa pra grã-fino mesmo, mas não faça aquela cara de irritado quando colocarem o couvert na mesa. Enjoy! Faça tudo com calma, você foi lá para curtir, não pra pensar nos preços. Dinheiro é pra ser gasto. Peça uma massa ou uma carne e take it easy, os pratos podem parecer insuficientes pra você que come um prato de arroz-feijão enorme, mas sustentam. E guarde espaço para a sobremesa, elas valem a pena. E sobremesa, pô, até pobre come!

Serviço
Blú Café
Rua Monte Alegre, 591, Perdizes, São Paulo – SP
Tel. 11-3871 9296
www.blucafe.com.br

Raul Andreucci

(Obs.: a gente adora o Raul porque ele fala “se joga” com naturalidade, mesmo sendo um jornalista hétero especializado em esportes!!!)

A Cantina D’Amico Piolim, mais conhecida só como Piolim (que pra mim sempre será “Piolinho”, com o perdão do trocadilho infame), é uma cantina italiana em pleno Baixo Augusta, quase lá na Praça Roosevelt. Preços praticáveis, porções fartas, opções apetitosas e garrafas de vinho em promoção: quer mais o quê?!

Fazendo pesquisinha rápida no Google pra agregar conhecimento e informação a este post (ó!), descobri que o Piolim é de um antigo garçom do Gigetto e ocupa a casa que costumava ser o Pirandello, restaurante dos anos 80 freqüentado pelos descolados e intelectuais da época. Aliás, parece que a casa também é tombada! Apesar de não ser mais a referência cultural paulistana que já foi, por lá ainda rolam uns lançamentos de livro, permutas com peças de teatro e buxixo de gente, o que inclui atores, poetas, jornalistas etc (sim, esse tipo de gente também é gente!).

Mas vamos ao que interessa: tanto as porções de massa quanto de carne são bastante generosas, o que significa que dá pra dividir tranquilamente. Dizem que o filé a parmegiana de lá é espetacular, mas não experimentei, fiquei só no bê-a-bá do macarrão (bê-a-bá mesmo, comi espaguete ao sugo, que tava muito bom… os meninos se aventuraram num penne a carbonara que tava meio sem graça e foi mais caro do que minha humilde macarronada). O vinho tava em promoção, com garrafa de Salton por R$ 20. Dividindo, dá pra comer e beber bem gastando uns R$ 25.

Serviço
Cantina D’Amico Piolim
R. Augusta, 311, Consolação, São Paulo – SP.
Tel. 11-3256 9356

Mari Tavares

Sabe aquele monte de restaurante carérrimo da R. Amauri – o único lugar de São Paulo onde a quantidade de valets é maior que a quantidade de gente? Pois bem, eu sempre tive um ÓDEO de trabalhar ali (o prédio do iG fica na frente da pracinha), porque sabia que estava rodeado de comida gostosa que eu NÃO POSSO PAGAR.

Mas hoje uma saída para almoçar com meu caro Raul (mais conhecido entre os fãs de futebol como o INIGUALÁVEL BETO MITO) me mostrou que quem não tem Amauri caça com João Cachoeira, querido leitor. Que sucesso! E eu, que sempre ia no Cachoeira Tropical, bem humilde (o vegê de R$ 13), nem sabia que um quarteirão antes existia um MUNDO DE RESTAURANTES! Só de passar o olho: um árabe, um espanhol e um… goiano!

Fomos ao Don Mariano, um restaurante de comida espanhola – huuum, que chiquê. Tá com cara de caro, né? Mas não é. Eles possuem almoços executivos com três opções diferentes de pratos principais – o de quinta-feira era filé mignon ao molho madeira, picanha argentina com vinagrete ou bacalhau. O executivo inclui SALADA e SOBREMESAAA (salada de frutas ou um mousse de chocolate bem gostosinho).

Chuta o preço de tudo isso.

R$ 16,55. Eu disse R$ 16,55. Sim, amigos: inclusive o de bacalhau é R$ 16,55.

A nossa conta deu um pouco mais cara porque não resistimos e tivemos que comer uma porção de mini-empanada. Pedimos metade de roqueford e metade de carne picante, as duas bem gostosas. R$ 10,70 – é bom para tira-gosto, se não está com muita fome. No site tem os sabores das empanadas normais, elas custam em média R$ 4 – não experimentei, mas se a mini-empanada é boa a grande é capaz de ser também, né?

O serviço é bem atencioso e, qüende, o couvert de pãozinho e manteiga é de graça!!! Impossível não engordar três quilos.

Outra hora me aventuro nas outras opções dessa rua que, para mim, é um NOVO PARAÍSO. Ai, pobre se contenta com qualquer coisa, né?

Serviço
Don Mariano
R. João Cachoeira, 178, Itaim, São Paulo – SP.
Tel. 11-3079 5964
www.donmariano.com.br

Jorge Wakabara