Posts Tagged ‘PF’

Quando um restaurante tem tudo para ser mais um, eu prefiro ir várias vezes nele, até encontrar um desafio. Se ele passar, vem aqui para o PTC. Se não passar, continua sendo mais um. Hoje foi o dia do Rubi Café passar por essa provação. Com sucesso, claro.

Pra começar, o Rubi Café é um PF com nome bonitinho. Situado numa esquina, ele quase que passa despercebido, se não fosse a multidão que acumula na hora do almoço.

Da primeira vez que fui lá, pedi um bife à cavalo, que veio bem-servidíssimo. Na segunda, peixe ao molho de camarão, e confesso que nesse dia eles me ganharam. Aí, hoje, ah, hoje foi lindo!

O prato do dia era strogonoff, também conhecido como “minha comida preferida” ou “a comida mais fácil de errar”. É, porque é difícil achar um strogonoff bem-feito, sem substituições (palmito, milho, AZEITONA no lugar do champignon), com o creme de leite na validade etc… Nem peço pra flambar com conhaque, que isso só em casa. Pedi, sabendo que aquele seria o fator decisivo para continuar freqüentando o lugar. E eles não me decepcionaram! Não só ele era feito com a receita mais tradicional possível, como também vinha com champignon em grande quantidade. Aaah mulek!

O preço, vocês me perguntam. O preço é quase que irrelevante, de tão baixo. Hoje, por exemplo, o almoço com suco de manga saiu R$ 13,50. Geralmente, eu ainda consigo levar uma quentinha para o dia seguinte, porque vem muita comida. Ou seja, divida o preço final por dois e você garante dois almoços muito baratos.

Serviço
Rubi Café
Rua Cônego Eugênio Leite, 756, esquina com a Rua Artur de Azevedo, Pinheiros, São Paulo – SP.

Bia Bonduki

Em MInas Gerais a vida é assim: uma eterna competição para ver quem ingere mais gordura e carboidrato. É de se espantar que, além das barraquinhas de yakissoba aqui em São Paulo, nenhum mineiro com tino para negócios tenha pensado em fazer barracas de tropeiro. Ia vender pencas. Eu comeria.

Pois bem, isso quer dizer que tropeiro é tipo o yakissoba de BH. No domingo passado, FIZ CONTATO com três. Antes de começar, vamos explicar no que consiste o tropeiro.

Se você pensou que era apenas um tipo de feijão… engano seu. O prato completo inclui o feijão com farinha, arroz, couve, torresmo, pedaços de lingüiça/carne/frango (depende de quem faz), ovo frito (que o Alexandre e a Simone chamam de zolhudo ou algo assim, então deve ser o jeito que o povo chama o ovo frito por lá) e às vezes pedaços de tomate. Ou seja, PF, né, pessú?

Um deles foi no Mineirinho, onde acontece uma feira de artesanato com uma giga praça de alimentação – a barraca que eu fui acho que chamava Barraca do Mexidão, algo assim. R$ 5, o pequeno, R$ 8 o grande – que eu me lembre. Com frango, pouca lingüiça, e achei que tinha arroz demais (pedi menos e mesmo assim veio um montão). OK. Acho bom ligar antes para saber se vai ter feirinha, eu acho que é todo domingo mas não tenho certeza.

Do lado de fora do Mineirão, nas barracas ao redor do estádio: R$ 4. Bem salgadão, com carne. Como era o mais trashão, foi o que eu achei com cara de mais saboroso – mas não sei se agüentaria um inteiro.

E finalmente o legítimo tropeirão do Mineirão. Comprei na lanchonete Bar 23 (acho que era isso), a do portão 7A – lá dentro mesmo – por R$ 6. Não gostei da carne vir inteirona – eles entregam uma colher para você comer, e acaba que você tem que pegar o bifão com a mão, mesmo… não me aventurei. Tem pedaços de tomate com uma aparência esquisita, porém gostosos. Uma parte do desafio é justamente comer aquele rangão em pratinho de plástico sentado na arquibancada do estádio com uma colherzinha. Isso sim é coisa para craque!

Serviço (vou dar o endereço do Mineirão, o Mineirinho fica ao lado)
Mineirão
Avenida Antônio Abrahão Caram, 1001, Pampulha, Belo Horizonte – MG.

Jorge Wakabara

Precisei almoçar por aqui em Pinheiros mesmo e me deparei com o Reserva Pinheiros, que eu sempre achei bonitinho-simpático-um-dia-farei-um-happy-hour-aqui e FIZ, MINHA GENTE, FIZ? Não fiz, né, claro, a gente geralmente promete essas coisas bobas tipo “no-meu-próximo-salário-compro-um-cinto-preto-que-eu-tô-precisado” e acaba comprando um estampado com o Tony Jr e acaba o dinheiro. ENFIM.

Cheguei à conclusão que aquela era a melhor oportunidade de sentar no Reserva e conhecê-lo sem ficar esperando uma remota possibilidade de happy hour nas cercanias de Pinheiros que não seja no Genésio, em dias de bolso mais cheio, ou no REAL, em dias de bolso vazio.

Comecemos pelo mais importante: a COMIDA! Existe no cardápio uma seção ALMOÇO ECONÔMICO, que consiste em salada + alguma carne + arroz branco ou “temperado” (that means alho poró) + outra guarnição. Acho que tinha sobremesa incluída também, mas eu sou tão lesado que fui embora sem perguntar. Bom, na minha terra isso chama PF, mas se eles querem chamar de AE, eu não me importo. Principalmente porque é tudo bem feitinho e muito gostoso: a salada tem alface, tomate e cenoura; pedi um filé de frango bem passado e ele veio ao ponto, tudo bem, mas tava bem saboroso; na guarnição optei por um purê de abóbora, que na verdade estava mais para creme mas nem por isso deixava de ser uma delícia, temperadinho na medida.

A decoração do lugar é, digamos… interessante. Tijolo aparente, máquinas de escrever antigas na parede e… um farol de trânsito num canto. Oi? Vai saber. A conta deu R$ 12 e alguma coisa, com refri. Valeu super, paguei feliz – eu, que tava acostumado com PF caro do Itaim, achei LINDO.

Serviço
Reserva Pinheiros Grill & Bar
R. dos Pinheiros, 754, Pinheiros, São Paulo – SP.
Tel. 11-3062 7113

Jorge Wakabara

E a gente é pobre mas sempre tem canal das coisas e dos melhores lugares para ir e comer bem. Semana passada estive em Ilhabela, aquele lugar maravilhoso que eu adoro, e pude comer em dois lugares BPP, gosthosos e que eu tenho certeza de que se você for para lá no feriado de 1° de maio vai adorar!

Para o almoço, minha sugestão é o Max Paladar, que é um self-service de comida ótima, bom atendimento e um preço justo. Claro, você pode gastar de R$ 1 a R$ 1.000, depende do tamanho do seu pratinho, mas com R$ 15 tenho certeza de que você vai fazer uma boa refeição – esse é o preço se você não sair derrubando o refrigerante das mesas vizinhas a sua, como aconteceu comigo… Ups… O restaurante é de frente para o mar, superventilado, agradável mesmo!

Para o jantar, você pode ir ao Cheiro Verde, que é um restaurante que tem na Vila de Ilhabela. O PF de comidinha caseira é enorrrrrrrrme. Vem uma saladinha modesta e o PFzão por R$ 13,90. Cada dia são cinco pratos diferentes, é só olhar o cardápio, mas tem para todos os gostos. O preço da caipirinha gira em torno de R$ 6 e é boa, viu?! O atendimento é rápido, pode até ter uma filinha, mas é uma espera de, no máximo, dez minutos. Vai lá, meu, vale a pena!

Essa história de que Ilhabela é para rico não cola muito. Pega um busão, se hospeda num lugar baratim e enjoy, baby!

Serviço
Max Paladar
Av. São João, 243, Perequê, Ilhabela – SP.
Tel. 12-3896 3700
www.maxpaladar.com.br 

Cheiro Verde
Rua da Padroeira, 109, Centro Histórico, Ilhabela – SP.
Tel. 12-3896 3245

Cinthia Reis

A minha procura pelo PF de luxo mais gostoso do Itaim continua, queridos leitores. Dessa vez, entrei num restaurante que por fora tem toda a penca de lugar de mulherzinha: dois andares, varanda, jardinzinhos do lado de fora… Aí eu entrei, né?

Eis que lá dentro toda a decoração é dominada por imagens de carros de corrida e signos desse universo. Na TV (sem som), SporTV bombando. O movimento é macho, meu bem. E no Maneken Pis não é só o decor que lembra velocidade – eles servem o prato num vapt-vupt! Eu comi um filé de frango com molho de maracujá mais arroz e batata palha. Não recomendo essa opção caso você esteja com um peguete: a batata palha de lá é na verdade uma batata raladinha deliciosa, mas difícil de comer, fica caindo da sua boca e, bem, isso não é uma cena muito sexy a menos que você tenha tesão em bizarrices.

As opções de prato do Maneken sempre estão na porta – acho que varia de dia após dia – em uma lousinha. O preço foi honesto – esse prato + uma água sem gás deu R$ 22,22. Tinha picadinho – era um pouco mais caro. 

É um local bem agradável, sim. Só que ainda não é o PF mais gostoso da região – oba, vou continuar procurando! HEH

Serviço
Maneken Pis
R. Pedroso Alvarenga, 1051, Itaim Bibi, São Paulo – SP.
Tel. 11-3079 3151

Jorge Wakabara

+ dica do minimalista Caju. Essa é a menor de todas!! HAHA Mas eu curti mesmo assim. Segueee:

GS. Fica na Joaquim Floriano, quase de frente pro Joakin’s. As mesas ficam todas juntas, dá pra ir sozinho e almoçar em família. Se couber dez lá dentro é muito. Dica: peça alguma opção de PF “mini”, que é mais q suficiente e custa R$ 8. O suco dá pra dividir, vem numa jarrinha até.

Serviço
G S Sucos
R. Joaquim Floriano, 134, Itaim Bibi, São Paulo, SP.

Guilherme Nóbrega

Eu já falei do Tulha, você lembra. E agora virou mania vasculhar lugares nos arredores do iG – que é onde eu trabalho, para quem não sabe. Dessa vez, devo dar os créditos para o Eduardinho. Ele me levou no Le Boulanger, que na verdade foi um lugar pelo qual ele cruzou num dia desses, achou simpático e – pelo que ele diz – seu FARO JORNALÍSTICO indicou que era bom.

Aí a gente foi conferir justamente hoje, quarta-feira, dia de… PF! O deles é bem temperado, com feijão preto e uma carne deliciosa (e ovo! Gente, tô numa fase Pobre-o-rama, adorando ovo). O lugar é bonitíssimo, bem arrumadinho, e o couvert (uns pedacinhos de pão que eu acho que é com alecrim e o Eduardo acha que não, que é outra erva) é gratuito.

O melhor é que parece um lugar mais elegante mas no fundo é supercool e não chega a ser tão caro quanto parece. Nossa conta deu R$ 23 e pouquinho, com o suco. Dá para ver o cardápio no site!

Serviço
Le Boulanger
R. Bandeira Paulista, 387, Itaim Bibi, São Paulo – SP.
Tel. 11-3078 6704
www.leboulanger.com.br

Obs.: não vou colocar essa tag porque é ridículo, mas é para-ir-com-o-seu-ex-namorado. Super OK. HAHAHA

Jorge Wakabara

Vamos supor que você trabalha no Itaim, e você viu o nosso post sobre o PF fino mas achou que R$ 25 era demais para o seu coraçãozinho. Que tal pagar… R$ 10 a menos?

Pertinho do Tulha, na esquina, o Alvarenga’s Bar parece um daqueles botecos que existem aos montes em São Paulo. Mas só quem entra e pede algo percebe: é o tempero mais delicioso de PF que eu já experimentei. De terça-feira, por exemplo, o prato do dia é estrogonofe. E ele é preparado com… coentro!! O feijão também tem coentro e é delicioso. E o prato do dia sai por apenas R$ 11, tá? No Itaim, meu bem, isso é trocado.

Vale super: com suco de limão – que vem naqueles copões – tudo sai por R$ 14, sem cobrar 10 % de serviço, sem frescura. E dá para encarar tranquilo, mesmo se você não estiver acostumado com PF, porque é tudo limpinho (inclusive o banheiro), com serviço atencioso.

Serviço
Alvarenga’s Bar
R. Pedroso Alvarenga, 1173, Itaim Bibi, São Paulo – SP.

Jorge Wakabara

A gente adora um PF. Feijão com arroz, comida com SUSTÂNÇA, sacomé? Todo mundo curte, não tem jeito. Só que muita gente tem medinho e/ou vergonha e/ou nojinho de ir em boteco e pedir um comercialzão.

Eu não sofro desse mal – adoooro um boteco HAHAHA – mas, como pobre-porém-chic que sou, às vezes tô a fim de comer um PF mas ao mesmo tempo ir num ambiente agradável, um atendimento bacana. Descobri o lugar – PORÉM, não se anime, ele é mais caro que um PF de boteco. Lógico.

Por R$ 20 e poucos, você curte um PF caprichado e LINDO + bebida no Tulha. Sério, eu nem sou tão ligado em “apresentação” de comida (apesar de ser japonês), mas quando o prato chegou eu fiquei bem passado, com pena de comer e estragar aquela coisa tão bonita. Fora que o lugar é pequenininho mas super bem decorado. Pelo que eu percebi, o legal é ir no máximo em duas pessoas, mesmo, porque só tem mesinha pequena – e como é tudo meio apertadinho, seria um transtorno juntar mesas ali dentro. Às vezes rola uma fila de espera, porque pelo visto o lugar enche. E quem não gostar da opção de PF do dia (que eles chamam de caseirinho), tem outros pratos mais elaborados no cardápio – só que um pouco mais caros. De qualquer forma, a conta não deve ultrapassar R$ 30.

Serviço
Tulha
R. Pedroso Alvarenga, 1177A, Itaim, São Paulo – SP.
Tel. 11-3167 6229