Posts Tagged ‘penne’

Dica para dia que cai pagamento e você está afim de dizer “eu mereço comer bem” – porque antes de tudo, queridos leitores, nós mesmos, já diria Dra Vodca. Para comemorar os 20 anos do bistrô Charlô, o chef preparou dois menus com as 16 melhores receitas de todos os tempos. De 04 de julho a 30 de agosto, pratos que fizeram sucesso nos anos 90. Em setembro e outubro, os destaques do ano 2000. 

Tá, não é barato (mas abaixo tem o que foi selecionado e os preços), mas vale a pena. Não sei se tem ainda, mas quando eu trabalhava na RG (Há dois anos, já, gente?! Credo…), o restô tinha um cardápio mais barato para o almoço, tipo uns R$ 40… e valia muito a pena. O ambiente, o atendimento… essas coisas de gente fiiiiiiiina!

Olha aí:
Menu anos 90
Salada de pato com brie e pinollis, R$ 24
Pudim de queijo meia cura, R$ 22
Penne com endívias, presunto cru e tomate seco, R$ 34
Camarão com molho gruyère e risoto de espinafre, R$ 80
Vitela recheada com alecrim e damasco, R$ 36
Folhado de coco, R$ 16
Pêra recheada com chocolate e pistache, R$ 14

Menu anos 2000
Gaspacho com guacamole, R$ 24
Rolinho de atum e wasabi, R$ 25
Magret de pato com molho de jabuticaba, R$ 43
Robalo com crosta de castanha do Pará e arroz créole, R$ 52
Medalhão com molho de três pimentas e batata dauphine, R$ 39
Zabaglione ao champagne, R$ 16
Tarte Tatin de manga e gengibre, R$ 16

Serviço
Bistrô Charlô
Rua Barão de Capanema, 440, Jardins, São Paulo – SP.
Tel. 11-3082 5553

Maíra Goldschmidt

A Cantina D’Amico Piolim, mais conhecida só como Piolim (que pra mim sempre será “Piolinho”, com o perdão do trocadilho infame), é uma cantina italiana em pleno Baixo Augusta, quase lá na Praça Roosevelt. Preços praticáveis, porções fartas, opções apetitosas e garrafas de vinho em promoção: quer mais o quê?!

Fazendo pesquisinha rápida no Google pra agregar conhecimento e informação a este post (ó!), descobri que o Piolim é de um antigo garçom do Gigetto e ocupa a casa que costumava ser o Pirandello, restaurante dos anos 80 freqüentado pelos descolados e intelectuais da época. Aliás, parece que a casa também é tombada! Apesar de não ser mais a referência cultural paulistana que já foi, por lá ainda rolam uns lançamentos de livro, permutas com peças de teatro e buxixo de gente, o que inclui atores, poetas, jornalistas etc (sim, esse tipo de gente também é gente!).

Mas vamos ao que interessa: tanto as porções de massa quanto de carne são bastante generosas, o que significa que dá pra dividir tranquilamente. Dizem que o filé a parmegiana de lá é espetacular, mas não experimentei, fiquei só no bê-a-bá do macarrão (bê-a-bá mesmo, comi espaguete ao sugo, que tava muito bom… os meninos se aventuraram num penne a carbonara que tava meio sem graça e foi mais caro do que minha humilde macarronada). O vinho tava em promoção, com garrafa de Salton por R$ 20. Dividindo, dá pra comer e beber bem gastando uns R$ 25.

Serviço
Cantina D’Amico Piolim
R. Augusta, 311, Consolação, São Paulo – SP.
Tel. 11-3256 9356

Mari Tavares