Posts Tagged ‘Gabriel Rajão’

Eu nunca vi um Mercado Central tão divertido na minha vida! Sério, gente, bizarro. O MC de BH tem umas lojinhas incríveis – aproveitei para comprar pimenta biquinho, que é – vejam só! – mineira.

Mas isso não é o mais interessante. Eis que você está passeando e de repente… Tem uma doida gritando com você de pé em um balcão com uma cerveja na mão. “EI, MORENO! VEM CÁ, MORENO! CERVEJA, MORENO?!”. Eu disse uma doida? São várias doidas, duas ou três, no mesmo pedaço do Mercado!

Você não está entendendo. É um caos. Mesmo. Elas não param de gritar. Engraçadíssimo. Veja a foto abaixo:

ei_moreno

O que eu sei é que a fofa insiste tanto, mas tanto, e em um intervalo tão curto de tempo, que te convence. É lá que se come o tradicional fígado com jiló. Você fez careta? Pois é, eu também, mas tem quem ache o prato uma iguaria, então eu respeito.

A porção custa R$ 10 e é para ser comida de pé mesmo, no balcão, com a cervejinha (por R$ 2,80), dividindo com os amigos. Não precisa ficar muito, é coisa de parar, comer, beber uma cervejinha, bater um papinho e vazar. Gabriel disse que é normal conversar com a pessoa do seu lado no balcão – e é de bom tom oferecer o que você está consumindo. Fique tranqüilo, normalmente a pessoa não vai aceitar mesmo porque sabe que é apenas uma convenção, e se aceitar vai te pagar a próxima.

Fomos no São Judas Tadeu – na frente, tem o Bar dos Valadarenses. Tudo me pareceu bem igual, então pode escolher qualquer um com essas doidas gritando.

Serviço
Bares do Ei, Moreno! no Mercado Central
Av. Augusto de Lima, 744, Centro, Belo Horizonte – MG.
http://www.mercadocentral.com.br/

Obs.: Uma dúvida. Não vi nenhum loiro passar. Será que ela grita “EI, GALEGO!”?
Obs. 2: Tentamos ir num restaurante no próprio Mercado, que Gabriel disse que lembra dele ser ótimo. O lugar se chama Casa Cheia e estava, er… CHEIO. Alguém já foi? É legal? Quanto custa?

Jorge Wakabara

Anúncios

Demos sorte: o Minas Trend Preview aconteceu bem no momento da eleição do concurso Comida de Boteco, que aqui em BH é muito mais tradicional do que o Boteco Bohemia em São Paulo – pelo menos foi essa a impressão que tive.

Visitamos o Temático – apesar do nome, não, o bar não é gay HAHAHAHA! O legal do Comida de Boteco é que os pratos que concorreram nos anos anteriores continuam no cardápio. Por exemplo: o Gabriel e o Ricardo decidiram pedir a porção que está concorrendo em 2008 – rabada. Eu, o Rodolfo e o Roberto pedimos um “combinado” que concorreu em, não me lembro exatamente, mas acho que era 2003. Legal, né?!

Vamos aos fatos: o Temático não é um boteco de comida mineira. Pois é, eu sei, isso é bizarro, mas o Temático vende comida… baiana! A porção que comi com os meninos chama-se Lampião, Maria Bonita e Cangaceiros – ah, que lindo – e vem com carne de sol, queijo coalho, feijão de corda (Yummy! Temperadíssimo!), macaxeira e manteiga de garrafa. Se dividir por três é para petiscar mesmo, porque não é tão grande assim – acho que o ideal é por dois.

Mas o prato que está concorrendo esse ano e que Ricardo e Gabriel degustaram é a grande atração. Chama-se Com a mão no rabo doce (oi???) e trata-se de rabada assada no bafo por seis horas – sim, amiguinhos, eu disse SEIS HORAS – com batata doce, cebola, rabanete e agrião.

Não pára por aí. Tem toda uma técnica para comer a rabada. Eles dão uma luvinha de plástico para você usar na mão esquerda porque a porção deve ser comida com a mão.
E por que a mão esquerda?
Porque com a direita você vai beber cerveja, ORAS.

Eu experimentei a rabada, mas não sou muito fã, então não sirvo de parâmetro. Mas o Ricardo e o Gabriel gostaram tanto que comeram DUAS PORÇÕES!

Preço: em média, as porções de lá custam R$ 21, R$ 22. Eu gastei R$ 11 porque dividi a porção em três e a gente não bebeu muito. Mas confesso, dá vontade de comer tudo.

Serviço
Bar Temático
R. Perite, 187, Santa Tereza, atrás do Mercado Santa Tereza, Belo Horizonte – MG.
Tel. 31-3463 7852

Jorge Wakabara

Começa a temporada mineira do PobreTambémCome – meio atrasada, eu sei, mas é que internet aqui é meio rara e eu arrumei um peguete ótimo, então não enche.

Para quem não sabe, estou em BH por causa do Minas Trend Preview. E, para quem não sabe também, a comida mineira é engordativa e, como tudo que engorda, é maravilhosa.

Como o Gabriel é mineiro, ele está meio que servindo de anfitrião para nós – e nos levou em locais legais, sim, faça-se justiça! O primeiro foi o Maria de Lourdes Botequim, que vende um chopp caseiro – cujo slogan, por sinal, serve de título para esse post.

O chopp Krug é totosinho – cremoso, e segundo o Bob é “muithso lééévi” – ele disse isso enrolando a língua e tentando provar para nós que chopp “não dá nada”. Sei.

Bom, o chopp é bom mas a gente veio aqui para beber ou pra comer? Peça a porção de carne de panela, vem com um molhinho delícia e pãozinho para molhar!!! HUUUMMMM, MA OE! Também pedimos uma porção de pastel de aipim com recheio de carne – acho que era isso. Então, para nós paulistas isso se chama RISOLES. Mas tudo bem, a gente respeita a lingüística de cada um.

Bom, resultado: bebemos mega, comemos bem e a conta deu R$ 25 for each (quatro pessoas). O bar é do tipo simpático-Vila-Madalena-limpinha, mas não chega a ser um “picanha na calçada”. Portanto, recomendamos.

Serviço
Maria de Lourdes Botequim
R. Barbara Heliodora, 141, Lourdes, Belo Horizonte – MG.
Tel. 31-3292 6905

Jorge Wakabara

Post polêmico! Lembra que eu disse que no Beirute tinha casal careta?! A tia do Gabriel ficou passada comigo, dizendo que eu tinha dito isso me referindo a ela e o marido!

NÃÃÃÃO! Amiga, para te provar que eu não te acho careta, eu inclusive vou incluir aqui a sua sugestão para o PobreTambémCome, o melhor veículo para se descobrir onde comer bem e não pagar tanto do BRA-SIL.

Perceberam que o Pobre tem cobertura NACIONAL? A gente é pobre mas é fino. Então vou contar de um lugar de BH que dizem que é o máximo – e como várias pessoas já me disseram, vou confiar na opinião delas. Gigantesco e 24 horas, o Bolão, que fica em Belo Horizonte, é o lugar para comer depois da balada – ou antes, ou a qualquer hora. Restaurantezão sem nenhum luxo, ele é freqüentado por Fernanda Takai, John, Samuel Rosa… tipo normal. Diz que o mexidão é uma delícia (cerca de R$ 9). A Paula Carina Baião, jornalista mineira que está cobrindo o Dragão Fashion como eu, comentou de outro prato mas eu não lembro – depois eu pergunto para ela e incluo aqui.

(A Ju Gomes acabou de me lembrar: é o macarrão na chapa!!!)

Serviço
Bolão
Praça Duque de Caxias, 288, Santa Tereza, Belo Horizonte – MG.
Tel. 31-3463 0719
www.restaurantebolao.com.br

Jorge Wakabara