Posts Tagged ‘farofa’

Viu o título apelativo e ficou babando pra ler conto erótico encaixando (ui!) culinária com sexo de pobre? Entra no Mix Brasil, que o assunto aqui é feijoada. Feijoada completa: feia e suja. Ou a verdadeira feijuca, se preferir.

Pra início de conversa: boteco que é boteco não serve feijoada light! E pobre que é pobre sabe o valor gustativo-nutritivo de iguarias como orelha, pé, língua, fígado e rabo. Quer feijão preto com carne seca e lombo? Vai pro Bolinha e paga cinqüenta mangos per capita. Agora, tá afim de tirar a tarde do sábado pra bater uma feijuca violenta, daquelas que, se combinada com piscina redundam em morte por congestão – que nem o amigo daquele seu tio que bateu as botas no churrasco da família quando cê tinha 12 anos? Passa na Churrascaria e Lanches Estrela da Cardoso.

OK, o nome não poderia ser mais cafona. Ou até que poderia, se o ambiente fosse levado em conta. Com mesa de toalha vichy plastificada, copo âmbar, cadeira de plástico com assento marrom clarinho e uma gordona cuidando do caixa enquanto ralha com o marido, o Estrela é um achado downhill no meio do bairro de Perdizes – área com maior índice de pizzarias familiares por m² em SP. Feio, mas até que limpinho, o pico não tem cardápio: as opções do dia ficam expostas naqueles quadros de montar com letras amarelas, sabe? Então, esses mesmos. E a feijoada só entra na moldura de sábado – Deus sabe porque eles desconsideram a quarta como dia de feijão amigo.

Além da pelante cumbuca do ensopado, os R$14 também dão direito a uma porção ridiculamente grande de arroz branco (soltiiiiiiiiiinho que só), farofa competente e um arretado molho de pimenta. O caldo merece (muito) destaque: mesmo que ex-ce-len-te, tá longe de ser bonito e, dependendo das carnes que vierem encimando, dá até pra pegar um nojinho. Mas esquece o estético e experimenta, que vale a pena. De início, as texturas das carnes, erm…, menos nobres, são bem bizarras. Tipo, a pele do pé descola do osso – sei lá, cartilagem ou o quê – e fica dançando sozinha na boca, meio que com vontade própria. Abstrai de novo e esquece que aquilo é asqueroso. Abstraiu? Ficou bom, não? Com o tempo, vai ficando – de verdade!

OK, faltaram a laranja e a couve, mas como exigir tudo isso de uma refeição que sai por míseros R$ 7? Sim, a porção serve dois esfomeados com pé nas costas – ou ainda três pessoas com fome em modo menor que boi no rolete.

Pros mais fresquinhos, o contra-filé à cavalo (R$ 12,90) e o à Parmegiana (R$ 15,90) são os mais recomendados. Aviso: eles são ridiculamente grandes – é de dar medo, juro – e acompanham arroz, fritas, feijão, salada e um copinho de cachaça (?!) que vem com qualquer prato da casa.

O aperitivo que serviria pra abrir o – haja! – apetite foi a única coisa que não rolou de provar pra contar. Porque até experimento orelha, pé e rabo, mas me recuso a tomar cachaça servida de garrafa de Coca-Cola reaproveitada. Tudo tem limite. Até pra pobre.

Serviço
Churrascaria e Lanches Estrela
R. Cardoso de Almeida, 1523, Perdizes, São Paulo – SP.
Tel. 11-3673 1927 (eles entregam, contanto “que dê pra andar a distância”, advertiu a gorda nervosa do caixa)

Chico Felitti

Anúncios

A Briza disse que o lugar parece com uma caixa de Purina, porque é todo quadriculadinho de branco e vermelho por fora, mas eu curti então vou falar dele mesmo assim. HAHAHA Fomos eu, ela e João em busca de algum lugar e acabamos parando lá no Brazão – eles já tinham ido e acharam a caipirinha barata (era mesmo, acho que uns R$ 5 ou menos). COMO ESSAS COISAS DE ÁLCOOL SÃO FUNDAMENTAIS, esse item foi de extrema importância para a nossa decisão. RISOS.

Eu dividi um prato que tinha carne de sol e baião de dois com o João e a Briza comeu um com filé de carne normal. É bem gigantão. Que eu me lembre também tinha farofa. Incluindo as bebidinhas, cada um pagou uns R$ 20 e poucos. Achei bem justo porque comi bem, estava gostoso e de fato saí levemente bêbado.

Detalhe bem legal e importante: o restaurante é 24 horas! E pelo que reparei, tem gente que vai no Brazão para beber cerveja, mesmo, então vale a dica como bar também.

Serviço
Brazão
R. João Cordeiro, 43, Praia de Iracema, Fortaleza, CE.
Tel. 85-3219 9795‎

Jorge Wakabara

Falta doce nesse blog. Nós, editores, sabemos, e estamos organizando uma força-tarefa pra preencher este vazio. Pra começar, um lugar simpático e apetitoso: a Cremeria Nestlé.

Ok, a Cremeria é rede, ainda por cima com loja em shoppings, duas coisas que, a princípio, não são bem-vindas no PobreTambémCome. Por isso, vamos restringir a dica às lojas de rua – Higienópolis e Vila Madalena -, mais especificamente à segunda (porque eu e Jorge somos pinheirenses assumidos, fazer o quê…).
 
O espaço da Cremeria da r. Wisard é bem agradável, com cara de café. Tem umas mesinhas simpáticas, algumas até na rua, mas o melhor mesmo são os sofás – dá pra se esparramar bem. Tem lá uma meia dúzia de revistas de fofoca que combinam muito bem com café e sofá. Mas o que o Jorge gosta mesmo é do Almanaque dos anos 70 que fica dando sopa lá na estante…
 
As opções de sabores de sorvete não são tão fartas como em outras sorveterias da cidade, mas também não chega a ser um problema. Tem coisas bem gostosas, como chocolate suíço, doce de leite com coco, creme com cookies e os sorbets de amora e maracujá. A bola costuma ser generosa e custa R$ 5,90. Pagando mais R$ 1 por ingrediente, você pode acrescentar coisas ao seu sorvete, como caldas, farofa, amêndoas etc. Bom lembrar: o título foi só uma brincadeira… lá tem alguns – poucos – sabores que não levam açúcar, como o de chocolate.
 
A Cremeria tem também umas sobremesas mais “gordas” que levam sorvete, tipo petit gateau ou umas taças como a Delícia de Frutas do Bosque (sorvete de creme, frutas vermelhas e calda de laranja). Devem custar uns R$ 10. É esse o preço também de uma coisa muito boa que tem lá: os frapês e milk-shakes. O milk-shake de chocolate suíço é genial, vem com uns pedaços de chocolate meio cremoso… E o tamanho também é suficiente, a não ser que você seja um ogrinho!
 
Pra terminar, impossível não comentar os cafés de lá, que são realmente muito bons! O chocolate quente deve ser uma das melhores coisa que aquele lugar produz. Acho que custa uns R$ 6, mas pode confiar porque vale a pena. O mocaccino também é ótimo, e custa R$ 1,80. Vale ir sozinho e também com o peguete, porque o lugar é bem fofo!
 
Serviço
Cremeria Nestlé
R. Wisard, 179, Vila Madalena, São Paulo – SP.
Tel. 11-3232 1858
 
R. Alagoas, 900, Higienópolis, São Paulo – SP.
Tel. 11-3662 2551
http://www.nestle.com.br/cremeria/
 
Mari Tavares

O ambiente é agradável, o serviço costuma ser bastante simpático e o público é bonito, apesar de ter gente muito novinha (mas muito mesmo. tipo a irmã mais nova da sua amiga, que até onde você lembra não tinha idade pra frequentar bar).
 
Mas isso não importa.
 
O que importa é que no Peixe Boi você bebe dois chopps e paga um. E come uns espetinhos muito bons por R$3,50 cada (o de queijo coalho é uma delícia, e os de carne vêm acompanhado por pão – nem sempre fresco -, vinagrete, farofa e maionese). E come variações de hambúrguer, cachorro quente e afins por um preço justo: o x-hot-dog custa menos de R$ 3.
 
Pra quem não bebe álcool, os sucos são ótimos. A única coisa que o PobreTambémCome nunca experimentou foram as sobremesas. Mas isso será resolvido em breve.
 
Serviço
Peixe Boi
R. Harmonia, 472, Vila Madalena, São Paulo – SP.
Tel. 11-3813 5734
 
Mari Tavares