Posts Tagged ‘doce’

16h da tarde, segunda-feira, Vila Madalena. Estava eu perdida pelo bairro, sem saber onde almoçar, morrendo de fome. Onde ir em um horário desses, meu deus? Eis que surge a resposta: Ekoa Café.

O Ekoa é um restaurante/café relativamente novo – tem quase 1 ano, segundo a dona -, localizado exatamente na frente da Livraria da Vila. Com toda uma proposta sustentável, o objetivo do lugar é te deixar confortável e incentivar que as pessoas se relacionem. Olha, eles conseguem, viu! Três exemplos da fofura:

1) o lugar tem uma varandinha com uma rede para você deitar e ficar quanto tempo quiser. Sim, uma REDE, daquelas de praia! E tem wi-fi de graça, então dá mesmo pra ficar horas e horas. 
2) lá tem uma coisa que eu apaixonei chamada “Café compartilhado”. Você pode deixar um café pago para alguém que não conhece ou pode tomar o café que alguém deixou pago. Não é fofo demais?!
3) Para estimular que as pessoas almocem juntas, eles dão desconto de R$ 0,50 no prato do dia para quem for acompanhado – se você for com outras 5 pessoas, por exemplo, você paga R$ 11 ao invés de R$ 13 no prato. O desconto é módico, mas a idéia é bonitinha, né?

Além de toda essa preocupação com os detalhes, a comida é bem boa e o preço é melhor ainda. Comi uma truta grelhada ao molho de manga com arroz integral bem honesta (Temos foto! Eba! – mas é tosca, de celular, tá gente…) e paguei R$ 16,80. O prato mais caro custa R$ 24, acho. O suco de pitanga custou R$ 4 – lá tem várias polpas orgânicas de frutas exóticas. Entre as sobremesas, tem coisas apetitosas como petit gateau com calda de pitanga e sorvete de creme (R$ 13) e brigadeiro com calda de cupuaçu (R$ 4, acho). Além de várias opções de saladas diferentes, sanduíches, cafés especiais, entradinhas, sopas… Ou seja, não falta opção!

Imag003

Lugar pra lá de fofo, pra ir sozinho, acompanhado, com amigos, sem amigos, com fome, sem fome… Vale compartilhar! E tem também em Campinas!

Serviço
Ekoa Café
R. Fradique Coutinho, 914, Vila Madalena, São Paulo – SP – na frente da Livraria da Vila
Tel. 11-3032 7842

Carrefour Campinas Shopping
Av. Mackenzie, s/n, Vila Brandina, Campinas – SP
Tel. 19-3255 6850

Shopping Iguatemi Campinas
Av. Iguatemi, 777, 1 piso, Campinas – SP
Tel. 19-3254 6733 

www.ekoacafe.com.br

Mari Tavares

Anúncios

É triste e ao mesmo tempo gostoso quando o emprego da gente muda de lugar.  Triste porque você é obrigado a deixar pra trás várias manias que já tinha adquirido – tipo a salada de fruta do Abadia. Gostoso porque você é obrigado a descobrir lugares novos. Nesse momento ‘descobertas’ da minha vida, o primeiro que vale dividir é o Andaluza.

O cardápio do Andaluza traz opções de lanches mais leves, justamente pra você conseguir ter fôlego pras sobremesas. As saladas são bem servidas e servem de almoço. Em geral, custam R$ 9,50 e vão desde carpaccio até folhas verdes com mussarela de búfala, tomate seco e afins. A opção com quiche custa R$ 11,50. Já os sanduíches custam em torno de R$ 8 e são simples, mas bem gostosos. Tem um de peito de peru com alface e cream cheese que é uma delícia, e você pode escolher entre pão francês e integral.  

Mas isso tudo é detalhe: o que importa são as sobremesas. Especializada em bolos, o pedaço custa em torno de R$ 4,50 e é um tamanho bom – você mata a vontade sem ficar empanturrado. O bolo de bem-casado é uma delícia e o de dois mousses – chocolate branco e amargo – é sensacional. O único problema (pelo menos para mim) é que eles tendem a colocar chantilly, marshmallow e afins em tudo… mas paciência. Tem também sorvetes, com opções que vão de papaia e graviola (R$ 5 a bola) a Häagen-Dazs (módicos R$ 7 A BOLA! tá todo mundo louco). 

Pra fechar, tem vários tipos de cafés, desde o bom e velho espresso até drinks mirabolantes. O mais simples custa R$ 2,50. Ótimo lugar pra se esconder quando o emprego tá afetando os nervo.

Serviço
Andaluza Sobremesas Finas

R. Caconde, 132, Jardim Paulista, São Paulo – SP
Tel. 11-3057 1564

R. Dr. Alvaro Alvim, 153, Vila Mariana, São Paulo – SP
Tel. 11- 5539 7962
www.andaluza.com.br

Mari Tavares

Se você gosta do café do Santo Grão mas não gosta daquele ambiente nariz empinado, existe uma boa alternativa: o café da Livraria da Vila (unidade Vila Madalena, pelo menos, que eu saiba) é do Santo Grão!

Recomendo a torta de limão e o bolo de cenoura, na faixa de preço de uns R$ 6,50 cada! A torta é megaleve e o bolo tem um glacezinho gostoso por cima ao invés daquela tradicional cobertura de chocolate. O café é uns R$ 2 e algo, que eu me lembre. Antes, o café da Livraria da Vila tava numa fase meio bizarra – você pagava o quanto a sua consciência mandasse. Sério, você fazia o preço. A idéia era legal, mas pelo visto faliu, né, minha gente? Risos.

E o prazer estético é bom: tinha um garçom da vez que eu fui que era alto, simpático e bonito – ele agachava para falar com a gente e dar suas recomendações. Abaixa aqui, garçom!

Serviço
Santo Grão na Livraria da Vila
R. Fradique Coutinho, 915, Vila Madalena, São Paulo – SP.

Jorge Wakabara

Paraty não é uma cidade barata, principalmente em época de Flip, quando tudo fica superfaturado – inclusive alimentação. Mas mesmo assim dá pra comer bem gastando relativamente pouco.

Uma opção é o Porto da Pinga, que, sim, tem 400 mil tipos de pinga, mas também tem um cardápio bem simpático. O filé de peixe ao molho de camarão, acompanhado por saladinha, batata souté e arroz, custa R$ 24. Além de ser uma delícia, é um prato super bem servido e realmente vem camarão no molho, o que é muito importante! Se não tiver afim de peixe, o cardápio tem outras opções, como crepe (que é uma febre em Paraty), salada, omelete, carne, frango, caldos e por aí vai.  

Só não tem muita alternativa de sobremesa, mas tem um monte de garçom engraçadinho que quando você pergunta se tem doce (porque não tá no cardápio), a resposta é: “Serve eu?”. Aí vai do humor do cliente e do clima da situação… De qualquer jeito, fica a dica: o Porto da Pinga é do lado do Bombom da Maga, então um esquema bom é jantar e depois se jogar no bombom de brigadeiro.

Em tempo: “por que, ó meu deus, o nome do post é ‘Cobra na cachaça!?'”, pergunta o atento leitor. É assim: 
Chega lá, come tranqüilamente, bebe feliz e pede a conta. 
O garçom simpático vai perguntar se você não quer experimentar uma cachacinha, só assim, pra conhecer.
Peça a cachaça da casa. 
O garçom vai dizer: “Tem certeza? Você promete que não vai gritar?” (desconfio que ele só pergunta isso pras clientes do sexo feminino).
Prepare seu coração, caro(a) leitor(a). 
Ele vai voltar com um pote de cristal cheio de pinga… com uma cobra d’água boiando dentro! E diz que a cobra tá lá há 5 anos. Eu disse 5 ANOS. 

Segundo o mesmo garçom simpático, a cobra não interfere no sabor da bebida, mas faz com que ela ganhe “qualidades afrodisíacas”. Como se um monte de pinga, mesmo da mais mequetrefe, já não fosse afrodisíaco o suficiente! É cada uma, viu…

Serviço
Porto da Pinga
Rua Matriz, 12, Centro Histórico, Paraty – RJ.
Tel. 24-9907 4370 / 9958 0121
www.portodapinga.com.br

Mari Tavares

Contribuição sempre bem humorada de Raul Andreucci, o terror da mulherada, Beto Mito nas horas vagas, doutor em futebol e PhD em saca-rolhas.

Tá, o dia dos namorados já passou. Mas sempre é tempo de ser romântico e comer bem. E uma boa pedida (ai, jornalista de serviço adora esse termo, né? um luxo!) pra nós, pobres (mortais), é o Blú Café.

É um “café & bistrô”, que fica ali na Rua Monte Alegre, em Perdizes, perto da PUC. É um lugar pequenininho, que mais parece uma casa bem aconchegante do que um restaurante sofisticado (e as comidas são, sim, sofisticadíssimas, viu!). Ajudam a compor esse ambiente os móveis antigos, a decoração meio européia e o jazz ao fundo (todas as quartas, sextas e sábados à noite). É aquela coisa: você senta e já se sente à vontade.

Melhor ainda que, quando você começa a se preocupar com o preço ou que vão achar que você não tem grana o suficiente para estar ali, os garçons aparecem com uma simpatia bem sincera e te mostram um menu com preços bem consideráveis. Eu não guardei bem o quanto era cada coisa porque sexta, quando fui ao Blú, tomei duas garrafas de vinho e, bem, vocês sabem… Mas garanto que há o que comer por volta dos 20 pilas, como o delicioso quiche, ou só para acompanhar um café, como as tortas doces (que hoje Deus não me permite mais comer).

Claro, se você gosta de falar que é pobre porque é hype ou está em alguma sistema de cotas mas tem grana…. amigo… se joga! Tem pratos ótimos por volta de 30, 40 mangos. Mas é sofisticado, hein. Não vai esperando um bife a cavalo. Eu sei, vão ter uns nomes estranhos que nem o chef sabe falar, mas vai na fé. Porque o trunfo do rango do Blú (é até uma blasfêmia chamar os pratos deles de rango, mas, como eu sou rebelde sem calça…) são as combinações. Não ache que tem coisa ali só pra decorar (se bem que, é, até tem…). É tudo pensado (ou me fizeram parecer que é), tudo junto ali na sua boca entra em uma harmonia que muda o sabor de uma maneira quase orgasmática, se assim vocês, puritanos, me permitem dizer.

Mas chega de lenga-lenga e vamos ao que interessa. Se o que vale nessa vida é a didática e a etiqueta, aprendam:

SOU POBRE, ME AJUDA, TIO! Nada de carta de vinhos para você. Vai extrapolar logo de cara o orçamento. Fique no chope. Sabemos que você gosta, e este vem numa caneca generosa e trincando. Entradas? Nem pensar. Finja que passou só para um lanche e peça o “Quiche com salada verde ao vinagrete de ervas”, como quem não quer nada. Vai te sustentar, garanto. E ainda dá pra pedir sobremesa, uma das tortas ou a salada de sorvetes.

SOU CLASSE MÉDIA METIDO A BESTA, MAS MÃO-DE-VACA E NÃO PRECISO DA SUA AJUDA! Precisa sim, bem. Aceite a carta de vinhos do garçom, não precisa ter medo. Você vai se assustar com alguns preços, mas tem alguns por volta de cinqüenta reais que já ajudam a dar aquela malemolência gostosa. Não precisa pedir entrada, porque isso é coisa pra grã-fino mesmo, mas não faça aquela cara de irritado quando colocarem o couvert na mesa. Enjoy! Faça tudo com calma, você foi lá para curtir, não pra pensar nos preços. Dinheiro é pra ser gasto. Peça uma massa ou uma carne e take it easy, os pratos podem parecer insuficientes pra você que come um prato de arroz-feijão enorme, mas sustentam. E guarde espaço para a sobremesa, elas valem a pena. E sobremesa, pô, até pobre come!

Serviço
Blú Café
Rua Monte Alegre, 591, Perdizes, São Paulo – SP
Tel. 11-3871 9296
www.blucafe.com.br

Raul Andreucci

(Obs.: a gente adora o Raul porque ele fala “se joga” com naturalidade, mesmo sendo um jornalista hétero especializado em esportes!!!)

IMPOSSÍVEL entrar na bomboniere Bombom da Maga, em Paraty (Parati? sei lá, ninguém sabe), e não lembrar do filme Chocolate. Dou um doce pra quem for lá e não fizer essa associação.

A loja fica no centro histórico de Paraty, então ocupa uma daquelas construções coloniais de portas compridas com bordas coloridas e azulejos pintados. Uma coisa muito fofa. A decoração da bomboniere também é simpática: os docinhos ficam em vitrines ou em cestinhas de vime, e todos os móveis são de madeira. Só tem uma coisa que eu dispensaria: logo na entrada tem um quadro cheio de fotos da dona com atores globais, o que eu acho muito desnecessário. Mas aí me explicaram que carioca adora posar com famoso, então…

A dona da loja (que eu não sei o nome) é a própria personagem da Juliette Binoche. Como no filme, ela faz dos bombons uma coisa meio de alquimia – por isso o nome “Bombom da Maga” e o logo de uma bruxinha voando de vassoura. Ela faz tudo a mão: desde a palha italiana e as trufas até o chocolate quente (R$ 3,50), que é daqueles bem cremosos e que vem tão quente que no minuto que você pára de mexer forma nata.

Mas ai, minha gente, aí tem o BOMBOM DE BRIGADEIRO. Meu jesus amado, o que é aquilo! É de chorar de bom. Custa R$ 2,50 e é uma das melhores coisas que existem no universo. Imagine: é um brigadeiro muitíssimo bem feito coberto por um tipo de glacê branco bem fininho e bem crocante. Tem outras opções de recheio, como coco e cereja, mas eu indico mesmo o de brigadeiro sem medo de errar. Dizem que o camafeu de lá também é famoso, mas eu não cheguei a experimentar. Só sei que custa também R$ 2,50.

Enfim, pra aquele lugar ser o paraíso só falta mesmo Johnny Depp de vendedor. Mas olha, sinceramente (e nunca pensei que diria isso), com aquele bombom de brigadeiro a ausência de Sr. Paradis até que passa despercebida.

Serviço
Bombom da Maga Bomboniere
Rua Matriz, 10, Centro Histórico, Paraty – RJ.
Tel. 24-3371 1580

Mari Tavares

Dica para dia que cai pagamento e você está afim de dizer “eu mereço comer bem” – porque antes de tudo, queridos leitores, nós mesmos, já diria Dra Vodca. Para comemorar os 20 anos do bistrô Charlô, o chef preparou dois menus com as 16 melhores receitas de todos os tempos. De 04 de julho a 30 de agosto, pratos que fizeram sucesso nos anos 90. Em setembro e outubro, os destaques do ano 2000. 

Tá, não é barato (mas abaixo tem o que foi selecionado e os preços), mas vale a pena. Não sei se tem ainda, mas quando eu trabalhava na RG (Há dois anos, já, gente?! Credo…), o restô tinha um cardápio mais barato para o almoço, tipo uns R$ 40… e valia muito a pena. O ambiente, o atendimento… essas coisas de gente fiiiiiiiina!

Olha aí:
Menu anos 90
Salada de pato com brie e pinollis, R$ 24
Pudim de queijo meia cura, R$ 22
Penne com endívias, presunto cru e tomate seco, R$ 34
Camarão com molho gruyère e risoto de espinafre, R$ 80
Vitela recheada com alecrim e damasco, R$ 36
Folhado de coco, R$ 16
Pêra recheada com chocolate e pistache, R$ 14

Menu anos 2000
Gaspacho com guacamole, R$ 24
Rolinho de atum e wasabi, R$ 25
Magret de pato com molho de jabuticaba, R$ 43
Robalo com crosta de castanha do Pará e arroz créole, R$ 52
Medalhão com molho de três pimentas e batata dauphine, R$ 39
Zabaglione ao champagne, R$ 16
Tarte Tatin de manga e gengibre, R$ 16

Serviço
Bistrô Charlô
Rua Barão de Capanema, 440, Jardins, São Paulo – SP.
Tel. 11-3082 5553

Maíra Goldschmidt

Achei um lugar que podemos dividir em duas partes: um lado Subway e um lado Starbucks. Ou seja, o local é bem american new way of life.

O lado Subway deles é quando você entra na fila pra montar o seu próprio lanche, escolhendo os ingredientes na “vitrine”. Mas o plus do lugar são as opções! Molhos diferentes, incluindo um tal de wasabi dijonaise que é ótimo. Várias carnes com vários temperos, de rosbife a frango tandoori. Queijos diversos, de prato a brie. Legumes cozidos e grelhados. E verduras fresquinhas. Tem as opções prontas de sanduíches, mas escolher o que você quer é mais legal. Ah, sim… o pão é feito lá mesmo, num fornão a lenha, o que deixa o lugar com cheiro de padaria.

Um sanduíche básico (1 molho + 1 carne + 1 tipo de queijo + legumes + alface + tomate), dá pra uma pessoa com muita fome e custa R$ 17,90. Tem também só salada (muitas opções de folhas e complementos), que vem numa tigela IMENSA, por R$ 17,90 também.

Ok, não é muito pobre, já que esse preço não inclui bebida. Mas o lado Starbucks deles é: sabe todos os tipos de café americanos? Lattes, mochas, decafs, que não existem em tamanho pequeno? Tem tudo, e pela metado do preço da cadeia de café já citada. Um café simples sai por R$ 3,30. Todos os chás são Twinings (tem Darjeeling, meu novo amor), também por R$ 3,30. Muffins imensos, brownies, frutas e bolos de cenoura, todos na faixa de R$ 4,50. E o grande destaque vai pro waffle, bem quadrado, bem americano, por R$ 4,90. Breakfast only.

O lugar é bacana, a freqüência é bonita, o som ambiente é agradável. No almoço é lotado, de tarde é o meu novo refúgio para meus late lunchs. À noite, não sei. Talvez na unidade Itaim vire balada…

Serviço
NYC NYC Sandwich Bar (o povo lê “Níqui Níqui”)
Av. Eng. Luis Carlos Berrini, 1444, Brooklyn
Av. Juscelino Kubitschek, 165, Itaim Bibi
São Paulo – SP
www.nycnyc.com.br

Natalli Tami

Koni Store: este é o nome de uma rede de lanchonetes que servem apenas temakis. A idéia é bem interessante e, o melhor, custa pouco. Trata-se da nova modinha do Rio e fica aberta de madrugada. Os cariocas têm adorado sair da night e dar uma passadinha lá. Eu, Nilton Jr e Lucia Nobre (os dois últimos são cariocas) fomos lá. Fui conhecer as combinações, uma vez que os dois cariocas já são habitués do local, que tem lojas espalhadas pelo Rio e franquias em Salvador e Brasília.

Pedimos tempurá de camarão (R$ 8,50), salmão e shitake (R$ 8,50) e camarão (R$ 8). O bacana é que dá pra fazer umas alterações, tipo acrescentar cream cheese ou flocos de arroz, por apenas R$ 0,75. O preço é bem legal e as combinações também.

Já pensou em konis doces? Lá tem e são servidos em casquinha, típica daquela de sorvete. Jesus, o que é aquilo? Uma delícia !
 
Serviço
Koni
R. Maria Quitéria, 77, Ipanema, Rio de Janeiro – RJ
Tel. 21-2521 9348
http://www.konistore.com.br

Roberto Lima

Obs. do editor: Bob! TEMAKI DOCE NÃO! TEMAKI DOCE É O FIM!

E não só japonesa: chinesa e tailandesa também, num só lugar. Parece ruim, né? Acrescente mais isso: dentro de um shopping center! Essa mistureba toda, que a princípio tem a maior cara de buffet de churrascaria, foi minha melhor surpresa em Curitiba.

Curitiba, na minha opinião, é uma das melhores cidades pra se comer no Brasil. Aproxima-se muito do padrão paulistano nos quesitos qualidade e variedade (Santa Felicidade é famosa por seus restaurantes de origem italiana, mas a cidade oferece um cardápio internacional), mas com um diferencial fundamental: a relação custo x benefício. Come-se muito bem pagando pouco ou um bom preço. Curitiba poderia ser a capital brasileira do Po.T.Co. Mas isso é com o editor do site.

Bom, dentro do Shopping Estação (uma antiga estação de trem reformada e transformada em mall) há uma infinidade de lanchonetes e restaurantes para todos os gostos. Mas o que me chamou a atenção foi o Gô! Restaurante Asiático. Durante o almoço, um buffet de iguarias do extremo oriente e sobremesas típicas por um preço atraente. Peixes fresquíssimos, frituras sequinhas e um tempero fantástico. Para um almoço executivo, nem muito spicy e nem insosso.

O cardápio tem uma grande variedade de pratos japoneses e chineses e alguns tailandeses. Um combinado de sushis sai por R$ 14; o tradicional frango xadrez custa R$ 16; e representando a Tailândia, o arroz do Sião custa R$ 15. O restaurante tem dois andares e eu recomendo sentar no andar de cima, mais arejado, aproveitando o alto pé direito do shopping. E dá pra dar uma olhada nos curitibanos que passam pelo lugar.

Serviço
Gô! Restaurante Asiático – Shopping Estação
Av. 7 Setembro, 2775, lj 1090, Curitiba – PR
Tel. 41-2101 8555

João Marcelo