Posts Tagged ‘chocolate quente’

IMPOSSÍVEL entrar na bomboniere Bombom da Maga, em Paraty (Parati? sei lá, ninguém sabe), e não lembrar do filme Chocolate. Dou um doce pra quem for lá e não fizer essa associação.

A loja fica no centro histórico de Paraty, então ocupa uma daquelas construções coloniais de portas compridas com bordas coloridas e azulejos pintados. Uma coisa muito fofa. A decoração da bomboniere também é simpática: os docinhos ficam em vitrines ou em cestinhas de vime, e todos os móveis são de madeira. Só tem uma coisa que eu dispensaria: logo na entrada tem um quadro cheio de fotos da dona com atores globais, o que eu acho muito desnecessário. Mas aí me explicaram que carioca adora posar com famoso, então…

A dona da loja (que eu não sei o nome) é a própria personagem da Juliette Binoche. Como no filme, ela faz dos bombons uma coisa meio de alquimia – por isso o nome “Bombom da Maga” e o logo de uma bruxinha voando de vassoura. Ela faz tudo a mão: desde a palha italiana e as trufas até o chocolate quente (R$ 3,50), que é daqueles bem cremosos e que vem tão quente que no minuto que você pára de mexer forma nata.

Mas ai, minha gente, aí tem o BOMBOM DE BRIGADEIRO. Meu jesus amado, o que é aquilo! É de chorar de bom. Custa R$ 2,50 e é uma das melhores coisas que existem no universo. Imagine: é um brigadeiro muitíssimo bem feito coberto por um tipo de glacê branco bem fininho e bem crocante. Tem outras opções de recheio, como coco e cereja, mas eu indico mesmo o de brigadeiro sem medo de errar. Dizem que o camafeu de lá também é famoso, mas eu não cheguei a experimentar. Só sei que custa também R$ 2,50.

Enfim, pra aquele lugar ser o paraíso só falta mesmo Johnny Depp de vendedor. Mas olha, sinceramente (e nunca pensei que diria isso), com aquele bombom de brigadeiro a ausência de Sr. Paradis até que passa despercebida.

Serviço
Bombom da Maga Bomboniere
Rua Matriz, 10, Centro Histórico, Paraty – RJ.
Tel. 24-3371 1580

Mari Tavares

Anúncios

Depois deste fim de semana, eu sei que o sinônimo de AMOR & ROMANTISMO nos tempos hipermodernos se traduz em MOLHO BRANCO (eu utilizei a palavra hipermoderno porque eu ando lendo o Gilles Lipovetsky na hora do almoço. POBRE TAMBÉM SOFRE DE EXCLUSÃO SOCIAL NA PRIMEIRA SEMANA DE EMPREGO).

Fui junto ao meu ESPOZO para Campos do Jordão passar dois dias respirando o ar puro da serra e bebendo água MINALBA pelo LADRÃO. Ficamos numa pousada charmosa no topo da montanha longe do agito ITAIMBIBÍSTICO do Capivari (traduzindo: ficamos numa pousada barata em cima do morro num bairro não-asfaltado a 4,5 km do centro da cidade. FOI BOM – EU JURO).

Como dois bons URSOS, um dos nossos planos era HIBERNAR por horas em uma cama queen size com pillow top. Naturalmente, o outro único programa para se fazer quando você não tem um NIKE SHOX ou calça de SPANDEX para fazer trilhas ou pedalar é sentar à mesa e praticar a GULA TURÍSTICA.

Na sexta à noite, tentamos o bar e cervejaria BADEN BADEN, o spot mais conhecido da cidade (pelo que sei, há até uma linha de cervejas Baden Baden à venda nas principais capitais). Acabamos fazendo o PEDIDO-PADRÃO-ÓBVIO: um fondue, por favor.

Eu não sou a maior fã de fondue para carnívoros. Eu não gosto de comer cubos de carne ou frango encharcados no óleo. Na minha profunda diletância, quando fiz o pedido esperava uma panela transbordando de queijos fundidos e pedaços de pães loucos para serem mergulhados neste OCEANO CREMOSO.

De qualquer forma, não me arrependi. FOI BOM, BIAL. Em viagem, tudo é festa: a culpa sempre vai dar uma voltinha e a gente se esbalda em quitutes com mais calorias que toda vitrine de salgados da Ofner.

Minha única frustração foi não ter experimentado os pratos do BUTIQUIM GOURMET que anda rolando até o final da temporada no Baden Baden. Trata-se de um festival gastronômico com pratos assinados por grandes chefs de cozinha, sendo cinco cardápios que irão complementar o do Baden Baden. No mês de abril, o cardápio do Baden recebe o Chef Laurent Suadeau. Alem disso, voce tem a opçao de degustar algumas iguarias de boteco com um toque bistro-ISH proposto pelos chefs convidados.

Uma coisa é fato: BARATO NÃO É. O comércio nas cidades turísticas em época de temporada é sempre hiperinflacionado, portanto, é necessário tirar o dinheiro debaixo do colchão para não ter que comer no Bob’s ou Giraffa’s. A minha dica de Campos do Jordão é fazer apenas uma boa refeição por dia e complementar sua alimentação com comidinhas vendidas por AMBULANTES: krep’s suísso, pinhão descascado, chocolate quente cremoso. Alegre a CRIANÇA OBESINHA que existe dentro de você.

Apesar dos preços salgados, vale a pena ir no BADEN BADEN. É algo que você tem que fazer quando for a Campos, para ter toda a experiência OI-ESTOU-TOMANDO-UMA-CERVEJA-BOCK-NUM-BAR-COM-MESA-NA-CALÇADA-FINGINDO-QUE-ESTOU-NA-SUÍÇA-(OU-ERA-PRA-SER-ALEMANHA-?).

O PRAZER ESTÉTICO foi NOTA 4.

No próximo post, mais detalhes do LATROCÍNIO que cometi no meu segundo dia de viagem: a BATATA ASSADA COM GIGANTISMO (e MOLHO BRANCO).

Serviço
Baden Baden
R. Djalma Forjaz, 93, loja 10, Vila Capivari, Zona 0, Campos do Jordão – SP.
Tel. 12-3663 3610
http://www.badenbaden.com.br/

Ana Laura Mello

Falta doce nesse blog. Nós, editores, sabemos, e estamos organizando uma força-tarefa pra preencher este vazio. Pra começar, um lugar simpático e apetitoso: a Cremeria Nestlé.

Ok, a Cremeria é rede, ainda por cima com loja em shoppings, duas coisas que, a princípio, não são bem-vindas no PobreTambémCome. Por isso, vamos restringir a dica às lojas de rua – Higienópolis e Vila Madalena -, mais especificamente à segunda (porque eu e Jorge somos pinheirenses assumidos, fazer o quê…).
 
O espaço da Cremeria da r. Wisard é bem agradável, com cara de café. Tem umas mesinhas simpáticas, algumas até na rua, mas o melhor mesmo são os sofás – dá pra se esparramar bem. Tem lá uma meia dúzia de revistas de fofoca que combinam muito bem com café e sofá. Mas o que o Jorge gosta mesmo é do Almanaque dos anos 70 que fica dando sopa lá na estante…
 
As opções de sabores de sorvete não são tão fartas como em outras sorveterias da cidade, mas também não chega a ser um problema. Tem coisas bem gostosas, como chocolate suíço, doce de leite com coco, creme com cookies e os sorbets de amora e maracujá. A bola costuma ser generosa e custa R$ 5,90. Pagando mais R$ 1 por ingrediente, você pode acrescentar coisas ao seu sorvete, como caldas, farofa, amêndoas etc. Bom lembrar: o título foi só uma brincadeira… lá tem alguns – poucos – sabores que não levam açúcar, como o de chocolate.
 
A Cremeria tem também umas sobremesas mais “gordas” que levam sorvete, tipo petit gateau ou umas taças como a Delícia de Frutas do Bosque (sorvete de creme, frutas vermelhas e calda de laranja). Devem custar uns R$ 10. É esse o preço também de uma coisa muito boa que tem lá: os frapês e milk-shakes. O milk-shake de chocolate suíço é genial, vem com uns pedaços de chocolate meio cremoso… E o tamanho também é suficiente, a não ser que você seja um ogrinho!
 
Pra terminar, impossível não comentar os cafés de lá, que são realmente muito bons! O chocolate quente deve ser uma das melhores coisa que aquele lugar produz. Acho que custa uns R$ 6, mas pode confiar porque vale a pena. O mocaccino também é ótimo, e custa R$ 1,80. Vale ir sozinho e também com o peguete, porque o lugar é bem fofo!
 
Serviço
Cremeria Nestlé
R. Wisard, 179, Vila Madalena, São Paulo – SP.
Tel. 11-3232 1858
 
R. Alagoas, 900, Higienópolis, São Paulo – SP.
Tel. 11-3662 2551
http://www.nestle.com.br/cremeria/
 
Mari Tavares