Posts Tagged ‘cebola’

Saca a situação: estava na terapia, falando exatamente da minha compulsão por comida pouco nutritiva e cara, e já pensando no almoço marcado nas proximidades de um Mc Donald’s. A terapia acabou, o almoço miou, e eu estava ali, no meio de Pinheiros, doida para atacar um Hamburguinho, ou até mesmo seguir a dica da Fafá e ir no Sinhá.

Após um raio de consciência, olhei do outro lado da rua e vi a deidade: Divino Bar e Grelhados. Embora eu freqüente semanalmente aquela área, esse era um lugar que nunca tinha me chamado a atenção. Mas, enfim, entrei e decidi provar.

Já de cara, um garçom passou e me ofereceu um prato de salada. Desconfiei, mas como eu ainda nem tinha olhado o cardápio, aceitei. Era um pratinho de sobremesa com alfaces picadas, rodelas de tomate, agrião e cenoura raladinha, tudo muito farto. Aquilo só podia ter um preço, mas fosse o que fosse, eu estava pagando.

O cardápio consistia em pratos do dia, pratos semanais mais baratos e lanches. Desrespeitando a terapeuta, pedi um sanduíche de pernil, que estava divino (hein, hein?). Bem servido, com bastante cebola, e o garçom ainda trouxe um molhinho inglês e uma pimentinha prá completar. De bebida, pedi um suco de abacaxi.

A conta deu R$ 11,20, e a salada era cortesia da casa. Ou seja, barato, simpático e gostoso.

Serviço
Divino Bar e Grelhados
Rua Dos Pinheiros, 953, Pinheiros, São Paulo – SP.
Tel. 11-3031 7265
www.divinobar.com.br

Bia Bonduki

Anúncios

Demos sorte: o Minas Trend Preview aconteceu bem no momento da eleição do concurso Comida de Boteco, que aqui em BH é muito mais tradicional do que o Boteco Bohemia em São Paulo – pelo menos foi essa a impressão que tive.

Visitamos o Temático – apesar do nome, não, o bar não é gay HAHAHAHA! O legal do Comida de Boteco é que os pratos que concorreram nos anos anteriores continuam no cardápio. Por exemplo: o Gabriel e o Ricardo decidiram pedir a porção que está concorrendo em 2008 – rabada. Eu, o Rodolfo e o Roberto pedimos um “combinado” que concorreu em, não me lembro exatamente, mas acho que era 2003. Legal, né?!

Vamos aos fatos: o Temático não é um boteco de comida mineira. Pois é, eu sei, isso é bizarro, mas o Temático vende comida… baiana! A porção que comi com os meninos chama-se Lampião, Maria Bonita e Cangaceiros – ah, que lindo – e vem com carne de sol, queijo coalho, feijão de corda (Yummy! Temperadíssimo!), macaxeira e manteiga de garrafa. Se dividir por três é para petiscar mesmo, porque não é tão grande assim – acho que o ideal é por dois.

Mas o prato que está concorrendo esse ano e que Ricardo e Gabriel degustaram é a grande atração. Chama-se Com a mão no rabo doce (oi???) e trata-se de rabada assada no bafo por seis horas – sim, amiguinhos, eu disse SEIS HORAS – com batata doce, cebola, rabanete e agrião.

Não pára por aí. Tem toda uma técnica para comer a rabada. Eles dão uma luvinha de plástico para você usar na mão esquerda porque a porção deve ser comida com a mão.
E por que a mão esquerda?
Porque com a direita você vai beber cerveja, ORAS.

Eu experimentei a rabada, mas não sou muito fã, então não sirvo de parâmetro. Mas o Ricardo e o Gabriel gostaram tanto que comeram DUAS PORÇÕES!

Preço: em média, as porções de lá custam R$ 21, R$ 22. Eu gastei R$ 11 porque dividi a porção em três e a gente não bebeu muito. Mas confesso, dá vontade de comer tudo.

Serviço
Bar Temático
R. Perite, 187, Santa Tereza, atrás do Mercado Santa Tereza, Belo Horizonte – MG.
Tel. 31-3463 7852

Jorge Wakabara

Para muitos, morar no interior pode ser uma tragédia. Estou incluída neste grupo. Não tem muito o que fazer, as opções de cultura são escassas, quando não são inexistentes, e as gastronômicas costumam se resumir a pizzarias. Aqui em Tatuí não era muito diferente, até que decidiu voltar às chapas o rei do sanduíche de boteco, João Bauru.

O João foi chapeiro por muito tempo num bar da cidade, até que resolveu abrir sua própria lanchonete. O lugar é simplérrimo: são três mesinhas de ferro com três cadeiras cada uma, mais quatro banquetas no balcão. Só. Ele abre só de dia de semana, das 19h até a hora que acabar o pão, sem chororô. Fim-de-semana, não abre e pronto. Mas mesmo assim, tem gente fazendo fila prá comer lá.

Se você um dia decidir provar o melhor de Tatuí, recomendo o x-salada completo e o sanduíche de lombinho. O tempero é incrível, vem com bastante cebola e a maionese da casa é um capítulo à parte. Inclusive, ele vende a maionese separadamente.

O preço é salgado se você for comparar com sanduíches de padaria: R$ 5 cada. Mas vale cada mordida e, come on, um sanduíche no nosso segundo lar não sai por menos de R$10.

Serviço
João Bauru
Rua Onze de Agosto, logo após a Praça da Matriz – Tatuí, SP.

Bia Bonduki