Posts Tagged ‘abóbora’

Essa é do Leo, e parece ser bem achado – o lugar não tem nem nome na porta!

Gostaria de retribuir com uma dica. O lugar se chama Dona Thereza (mas não tem nome na porta) e fica na Fernando de Albuquerque 57, quase chegando na Augusta. Inauguraram faz umas 3 semanas e abre para almoço durante a semana e após as 14:00 aos sábados e domingos.

No almoço oferece apenas três opções e é basicamente cozinha brasileira com um toque de sofisticação e ingredientes de qualidade. (Acabei de comer um carne seca com abóbora de comer de joelhos! ). Tudo isso por R$9,90! Espero mesmo que o lugar decole para que eu possa continuar a ter essa delícia tão perto de casa.

Ah, durante a tarde/noite eles servem só petiscos. Ainda não provei.

Leo, prova ai os petiscos pra contar pra gente!

Serviço
Dona Thereza
R. Fernando de Albuquerque, 57, Consolação, São Paulo – SP – altura da R. Augusta.

Anúncios

Precisei almoçar por aqui em Pinheiros mesmo e me deparei com o Reserva Pinheiros, que eu sempre achei bonitinho-simpático-um-dia-farei-um-happy-hour-aqui e FIZ, MINHA GENTE, FIZ? Não fiz, né, claro, a gente geralmente promete essas coisas bobas tipo “no-meu-próximo-salário-compro-um-cinto-preto-que-eu-tô-precisado” e acaba comprando um estampado com o Tony Jr e acaba o dinheiro. ENFIM.

Cheguei à conclusão que aquela era a melhor oportunidade de sentar no Reserva e conhecê-lo sem ficar esperando uma remota possibilidade de happy hour nas cercanias de Pinheiros que não seja no Genésio, em dias de bolso mais cheio, ou no REAL, em dias de bolso vazio.

Comecemos pelo mais importante: a COMIDA! Existe no cardápio uma seção ALMOÇO ECONÔMICO, que consiste em salada + alguma carne + arroz branco ou “temperado” (that means alho poró) + outra guarnição. Acho que tinha sobremesa incluída também, mas eu sou tão lesado que fui embora sem perguntar. Bom, na minha terra isso chama PF, mas se eles querem chamar de AE, eu não me importo. Principalmente porque é tudo bem feitinho e muito gostoso: a salada tem alface, tomate e cenoura; pedi um filé de frango bem passado e ele veio ao ponto, tudo bem, mas tava bem saboroso; na guarnição optei por um purê de abóbora, que na verdade estava mais para creme mas nem por isso deixava de ser uma delícia, temperadinho na medida.

A decoração do lugar é, digamos… interessante. Tijolo aparente, máquinas de escrever antigas na parede e… um farol de trânsito num canto. Oi? Vai saber. A conta deu R$ 12 e alguma coisa, com refri. Valeu super, paguei feliz – eu, que tava acostumado com PF caro do Itaim, achei LINDO.

Serviço
Reserva Pinheiros Grill & Bar
R. dos Pinheiros, 754, Pinheiros, São Paulo – SP.
Tel. 11-3062 7113

Jorge Wakabara

Alguém já reparou que Minas Gerais virou uma idéia fixa do blog?
ABAFA O CASO.

Você, pessoa moderna que lê esse blog incrível chamado PobreTambémCome, com certeza já passou algumas vezes pela Galeria Ouro Fino, aquele ex-atual-futuro reduto do hype na nossa Paulicéia. E com certeza já passou por um singelo café que fica ali do lado, como quem não quer nada, e nem reparou.

Aquele café se chama Vó Sinhá e, veja só que coisa, ele é especializado em petiscos mineiros! Segundo o cardápio, essas coisinhas típicas são realmente “importadas de Minas” – óun, achei charmoso. Experimentei: o pão de queijo com recheio de carne seca com catupiry (!! R$ 3,50), a sopa de abóbora (R$ 8,90) e o capuccino (R$ 3,50). Tem lá também e em breve volto para experimentar: doces diversos, biscoito de queijo, quiche com salada.

O Vó Sinhá é uma boa opção, pelo que reparei, para comer barato pelos Jardins. Faça as contas: sopa + suco ou refri sai bem menos que R$ 15. O atendimento foi superfofo (até achei, em alguns momentos, que a menina estava dando em cima de mim. Sério).

Obs.: tem delivery! Não sei qual região eles entregam – provavelmente só lá perto – mas não custa ligar e perguntar!

Serviço
Vó Sinhá
R. Augusta, 2724, Jardins, São Paulo – SP.
Tel. 11-3081 2389

Jorge Wakabara

Dica da Paloma: e é ÓTIMAAA! Gente, eu insisti tanto para ela escrever o texto quando ela me contou desse lugar!
Quero sarar do ciso A-GO-RAAA!

Na saída do Metrô Saúde existe um carrinho de churros sem nome, nada charmoso, nada elegante, muito menos saudável – porém os recheios exóticos (abóbora com côco, bicho de pé e pêssego) fazem valer os R$ 2 e uma passadinha no point nada badalado de São Paulo. Se é bom ou não? Não importa, afinal de contas onde mais você vai achar um churros de pêssego? É experimentar esse ou morrer curioso.
Quem levar? Ninguém. E vá disfarçado.

Serviço
Metrô Saúde, linha azul, São Paulo – SP.

Paloma Passetto

O baião de dois teoricamente não se chama assim por ser para duas pessoas, mas porque ele é feito com arroz e feijão. Heim, heim? Sacou?

Ontem eu, Mari e Ana Laura fomos para o Biu, que costumava ser o POINT da TCHURMA lááá pelos idos de 2002… A mulher do Biu, a Edi, é uma cozinheira de mão cheia. É simplesmente umas das coisas mais gostosas que eu já comi.

Vai queijo, carne de sol, abóbora, coentro… tudo bem misturadão. Mas o + interessante é reparar na progressão geométrica embutida no cardápio.
Lá no Biu, decidiu-se que, além do baião de dois, existe… o baião de um, o baião de três, o baião de quatro, o baião de cinco… até o baião de nove, que eu me lembre.

Por enquanto, tudo parece muito simples. Você vai me dizer: “chama assim porque o baião de um é para uma pessoa, o baião de dois é para duas…” Ah, você acha? Pois saiba: no Biu o baião de dois dá para três, o baião de três dá para cinco. É o milagre da multiplicação. A Ana diz que isso se deve à farinha (q?).

Bom, para quem já conhece o Biu, saiba: o baião de dois costumava ser bem maior. Tá menorzinho… mas ainda dá para três sim. Com carne de sol – que é o original e mais gostoso mesmo – custa R$ 35. E para os vegetarianos de plantão: tem baião de dois vegetariano, pelo mesmo preço. Só acho meio tonto: o gostoso do baião é que vem carne junto – eu ficaria com a salada, mesmo…

Serviço
Bar do Biu
R. Cardeal Arcoverde, 776, Pinheiros, São Paulo – SP.
Tel. 11-3081 6739

Jorge Wakabara