Archive for the ‘Consolação’ Category

Essa é do Leo, e parece ser bem achado – o lugar não tem nem nome na porta!

Gostaria de retribuir com uma dica. O lugar se chama Dona Thereza (mas não tem nome na porta) e fica na Fernando de Albuquerque 57, quase chegando na Augusta. Inauguraram faz umas 3 semanas e abre para almoço durante a semana e após as 14:00 aos sábados e domingos.

No almoço oferece apenas três opções e é basicamente cozinha brasileira com um toque de sofisticação e ingredientes de qualidade. (Acabei de comer um carne seca com abóbora de comer de joelhos! ). Tudo isso por R$9,90! Espero mesmo que o lugar decole para que eu possa continuar a ter essa delícia tão perto de casa.

Ah, durante a tarde/noite eles servem só petiscos. Ainda não provei.

Leo, prova ai os petiscos pra contar pra gente!

Serviço
Dona Thereza
R. Fernando de Albuquerque, 57, Consolação, São Paulo – SP – altura da R. Augusta.

Continuando nossa série de posts de comemoração, ai vão todos os restaurantes de Sampa City deste nosso primeiro ano de vida – só de A a C, porque foram muuuuuuitos, então vamos ter que dividir por blocos!

São Paulo

A
A Lareira
Abadia
Acrópolis
Alvarenga’s Bar
Amazon’s Coffee
Amsterdã Bistrô & Café
Andaluza
Aniello 1
Aniello 2 (Jorge é tão lesado que fez o primeiro post e me ajudou a fazer o segundo sem lembrar que já tinha feito um post sobre esse restaurante!)
Anis Café
Arabesco
Athenas Café

B
Bar do Biu
Bar do Elvis
Bar do Museu
Bar Leblon
Bella Gula Fast Bistrô
Bella Paulista
Benjamin Abrahão – Mundo dos Pães
Bistrô Charlô (não se iludam, o preço tava acessível só porque era comemoração de 20 anos do restaurante)
Blú Café
Burriteria

C
Ca’d’Oro
Cachoeira Tropical
Café Árabe
Café Florinda
Cantina D’Angelo
Cantinho Goiano
Carrinho de churros no Metrô Saúde
Casa do Norte – Cantinho do Martinho
Casa Líbano
CB Curry House (parece que não está mais aberto! Ainda aguardamos notícias sobre possíveis reinaugurações)
CBzinho
China Massas Caseiras por Jorge Wakabara
China Massas Caseiras por Natalli Tami
Churrascaria e Lanches Estrela
Clube Atlético Reinaldão
Côco, cravo e canela
Comedoria do Sesc Avenida Paulista
Comedoria do Sesc Pinheiros
Cremeria Nestlé

Próximo lote: São Paulo de D a K!

Mari Tavares

A Cantina D’Amico Piolim, mais conhecida só como Piolim (que pra mim sempre será “Piolinho”, com o perdão do trocadilho infame), é uma cantina italiana em pleno Baixo Augusta, quase lá na Praça Roosevelt. Preços praticáveis, porções fartas, opções apetitosas e garrafas de vinho em promoção: quer mais o quê?!

Fazendo pesquisinha rápida no Google pra agregar conhecimento e informação a este post (ó!), descobri que o Piolim é de um antigo garçom do Gigetto e ocupa a casa que costumava ser o Pirandello, restaurante dos anos 80 freqüentado pelos descolados e intelectuais da época. Aliás, parece que a casa também é tombada! Apesar de não ser mais a referência cultural paulistana que já foi, por lá ainda rolam uns lançamentos de livro, permutas com peças de teatro e buxixo de gente, o que inclui atores, poetas, jornalistas etc (sim, esse tipo de gente também é gente!).

Mas vamos ao que interessa: tanto as porções de massa quanto de carne são bastante generosas, o que significa que dá pra dividir tranquilamente. Dizem que o filé a parmegiana de lá é espetacular, mas não experimentei, fiquei só no bê-a-bá do macarrão (bê-a-bá mesmo, comi espaguete ao sugo, que tava muito bom… os meninos se aventuraram num penne a carbonara que tava meio sem graça e foi mais caro do que minha humilde macarronada). O vinho tava em promoção, com garrafa de Salton por R$ 20. Dividindo, dá pra comer e beber bem gastando uns R$ 25.

Serviço
Cantina D’Amico Piolim
R. Augusta, 311, Consolação, São Paulo – SP.
Tel. 11-3256 9356

Mari Tavares

Eu, Mariana e Raul estamos INDIGNADOS. A gente contou para um caralhada de gente que tomamos café no Ca’d’Oro e neguinho não achou nada demais. “Aquele prédio véio? Que que cês foram fazer lá?!”.

COMO ASSIM, MINHA GENTE?, perguntaria uma personagem de Regina Duarte, indignadíssima com o pouco caso desses paulistanos sem noção. Vocês ignoram esse hotel com 55 anos que já hospedou tipoassim NELSON MANDELA? NAT KING COLE? MITERRAND? PABLO NERUDA? PAVAROTTI? GORE VIDAL?

O Ca’d’Oro começou como restaurante. E aliás, um restaurante caríssimo, a gente viu os preços e, não, baby, sem condições, nem no pay day rola. Inclusive diz que é restaurante preferido de gente como Antonio Ermírio de Moraes, Claudio Lembo e Fernando Henrique Cardoso.

/Caras mode offDito isso tudo, que tal tomar um cafezinho no Ca’d’Oro, como quem não quer nada? Oras, PobreTambémVisitaHotelCaro. O Ca’d’Oro tem todo um climão decadence avec elegance, móveis elegantes antigos, atendentes uniformizados e megasolícitos. O piano bar, que foi onde a gente tomou o cafezinho, conta com quadros de nossa amiga Ella Fitzgerald, nosso amigo Louis Armstrong… as cadeiras são confortabilíssimas, e o climinha é “fique à vontade”. Ou seja: é para rico sem frescura, tipo o Antonio Ermírio. Tipo eu – HAHAHA OK, brincadeira.

 

Momento dê-umas-risadas: NÃO DEIXE DE IR AO BANHEIRO MASCULINO. Dois quadrinhos extremamente instigantes trazem ilustrações vintage de mulheres com roupas fofas e os seguintes dizerem no topo da imagem: TRAVESTI 115. Oi? Não entendi nada.

Não vou resistir à piada: será que o Ronaldinho freqüenta?

Em tempo: café, R$ 4,50. Chá, R$ 5 (vem no bule, bastantão). Petit four gostosinho acompanha. Gorjeta não incluída – é de bom tom deixar pelo menos R$ 1 pro coitado que te atender, seu pobre!

Serviço
Ca’d’Oro
R. Augusta, 129, Consolação, São Paulo – SP.
Tel. 11-3236 4300
www.cadoro.com.br

Jorge Wakabara

Eu sei que Maíra vai ficar puta comigo porque eu não deixei ela escrever um texto sobre o Gopala e agora vou publicar esse texto FULEIRO do Gutierrez, que nem tem certeza do preço do local. MAS FIQUEM TRANQÜILOS, vou complementar isso.

Gopala Prasada: ainda mora no meu coração, mas já foi melhor. Eles subiram muito os preços, e a comida ficou mais simples. Para quem não conhece, é um indiano vegetariano. Acho que está R$ 20, um prato com suco.

Serviço
Gopala Prasada
Rua Antônio Carlos, 413, Consolação, São Paulo – SP.
Tel. 11-3289 1911

Felipe Gutierrez

Agora, um pouquinho de descrição: no Gopala tudo é bem temperado – como a comida indiana pede – e um pouco apimentado – mas não muito, super rola mesmo que você seja sensível à pimenta. Às vezes tem coisas bem exóticas e não por isso menos gostosas, como doce de rosas!

O local é freqüentado por uma certa nata hipster da região. Você vê vários óculos modelo aviador transformados em óculos de receituário – como o do Gutierrez e o meu. HAHAHAHA

Para quem não sabe, Prasada (o segundo nome do Gopala) quer dizer comida sagrada na religião Hare Krishna – Ó, POBRETAMBÉMCOME TAMBÉM É CULTURA! Isso significa que 1) o local é Hare Krishna, 2) a comida que você está comendo foi abençoada!!! Sério! Legal, né? Porque você até pode ser ateu, assim como o Gutierrez, mas uma agüinha benta de vez em quando não faz mal a ninguém…

Obs.: se alguém souber o preço certinho, avisa aí nos comentários!

Não adianta, é uma condição humana. Nós sempre iremos julgar um livro pela capa, uma pessoa pelo gosto musical e um barzinho pela decoração. Uma hora a gente muda de idéia, mas a primeira impressão é a que fala mais alto.

Assim foi com o Athenas, na esquina da Rua Augusta com a Antonio Carlos. Como sempre acabo saindo naquela região, achei que fosse mais um bar metido a besta, que cobrava R$ 5 por uma Brahma, e por isso preferia o bom e velho Charm para as cervejinhas de domingo (o Charm, para quem não sabe, fica na frente do Athenas). 

Bom, mas aí fui encontrar um amigo ontem e ele sugeriu que fôssemos lá. Continuei com meu pré-julgamento até chegar no lugar e ver que a garrafa de Stella Artois, geralmente cara na maioria dos bares, custava R$ 4,50. Honesto. E a porção de bolinho de carne (que, não se confundam, não é croquete, é quase kibe) custava R$ 7. E o frapê de sei-lá-o-quê gigante que o meu namorado pediu era R$ 3,50. Ou seja, preço de boteco, qualidade de bistrô, ótimo para ir com amigos, peguetes ou para fazer uma boquinha pós-cinema.

Minha única ressalva foi o atendimento. Os garçons pareciam não nos enxergar e cometeram vários erros, inclusive na conta. Não se pode ter tudo, acho.

Curiosidade: o Athenas Café é do mesmo dono do restaurante grego ao lado, o homônimo Athenas.

Serviço:
Athenas Café
Rua Augusta, 1.449, Consolação, São Paulo, SP.

Bia Bonduki

Já o citamos pelo menos duas vezes por aqui (+ especificamente: aqui e aqui). Mas, ao mesmo tempo, talvez porque seja caro, ninguém da nossa turma realmente reconhece que o Exquisito é um QG.

Mas é, né, gente?! Vamos combinar.

Bia, por exemplo, adora a porção de nachos de lá. É boa mesmo. O negócio é pedir uma porção de nachos para três – não o faça em momento ogro, você vai morrer de fome, a porção de nachos é caprichada mas é cara e só serve para dividir naquele momento tira-gosto – e tomar uns dois mojitos. O mojito é delicioso, mas não rola ficar tomando de montão, porque a sua conta vai virar um montão também.

Quer ficar bêbado? Vai para o Amarelinho encher a cara e não amola.

O Exquisito também tem vááários pratos, saladas, coquetéis etc. A maioria puxa para um lado “cozinha da América Latina”. Para quem quiser algo + caprichado… a gente só tá avisando antes porque não é barato mesmo, tá? Mas parece que vale a pena, as pessoas costumam falar bem das comidinhas de lá.

Obs.: pelas minhas contas, dividindo os nachos e com dois mojitos, você vai desembolsar uns R$ 30. Se eu estiver errado, me avisem.

Serviço
R. Bela Cintra, 532, Consolação, São Paulo – SP.
Tel. 11-3151 4530
www.exquisito.com.br

Jorge Wakabara