Pobre que é pobre cozinha – porque é mais barato!

Nós, pobres que moramos sozinhos, conhecemos muitos restaurantes. É verdade. Principalmente para a hora do almoço – porque só estamos em casa nesse horário se estivermos doentes. Afinal, temos que trabalhar para pagar… a conta dos restaurantes que freqüentamos! Também sabemos quase de cor o telefone de deliverys da região de casa. Mas também somos capazes de fazer a nossa própria comida. Não, não vou convidar ninguém para experimentar as gororobas que faço. Mas já evoluí muito desde que sai da casa da minha mãe e – posso dizer sinceramente – até gosto das atividades no fogão.

Aprendi com o tempo, claro, que para fazer uma comidinha com o mínimo de sabor, é preciso ter em casa alguns ingredientes (no meu caso, alho, cebola, manjericão – é mínimo de sabor, prestou atenção?) e que temperos prontos são uma enganação. O legal é comprar, lavar, picar, fritar etc com as próprias mãos. E toda essa introdução, que já deve ter feito o Jorge dormir [Nota do editor: zzzz], é para falar do sacolão que freqüento. A vida ficou muito mais fácil – e econômica – depois que passei a fazer minhas compras semanais no Sacolão de Higienópolis.

Lá, além de legumes, verduras e frutas, que é o básico de um sacolão, tem carne, peixe fresco, laticínios, vinhos (com preços ótimos e não são aqueles de garrafão, tem vinho chileno, argentino, português), geléias (as Queensberrys custam cerca de R$ 2 a menos do que nos supermercados), cogumelos (porque dá preguiça de ir até o mercado municipal, né?), grãos (linhaça, inclusive, que amo e faz bem principalmente para as mulheres por causa do efeito sobre os hormônios), pão integral, geladeira com Häagen-Dazs, iogurte, requeijão, essas coisas. Vende bandejinhas de sushi – eu nunca comprei porque não tenho coragem… E há um espaço para produtos kosher.

Na parte de fora, tem água de coco, garapa e pastel – ótimo para comer no domingo meio de café-da-manhã-almoço. E flores. Lindas, um monte de tipo. (ai! Fiquei fofa nessa parte do post!). Abre cedo – acho que 8h (mas isso não importa porque duvido que alguém vá cedo!) – e fecha às 20h durante a semana e 13h aos domingos. É dica para quem mora por ali mesmo – Santa Cecília, Vila Buarque e Higienópolis – mas se alguém tiver disposição para pegar carro ou ônibus com sacolas, eu recomendo. Vale a economia de 30%, em média, se comparado ao gasto no Pão de Açúcar.

Serviço
Sacolão de Higienópolis
R. Dona Veridiana, 162, Higienópolis, São Paulo – SP.
Tel. 11-3222 0678

Maíra Goldschmidt 

Anúncios

  1. Claudia

    poxa, eu curtia muito também aquela agua de coco!
    vc viu que eles tiraram??? adorava tomar agua fresquinha de coco! tenho a maior preguiça de comprar o coco e abrir! hehehee
    vamos fazer um abaixo assinado pra voltar a barraquinha doco ?? rs

    beijao! adorei aqui, seu espaço

  1. 1 1 ano de blog! – Sampa de R a Y « Pobre também come

    […] Sabiá Sabor Mate Sacolão de Higienópolis Santa Clara Batataria Santo Grão Santo Grão na Livraria da Vila São Paulo Restaurant Week Satya […]




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: